OBRAS PARA REQUALIFICAÇÃO DO CENTRO DE SALVADOR SÃO FEITAS

RUA DIREITA DA PIEDADE, NA ALTURA DO POLITEAMA, ÁREA CONTEMPLADA PELO PROJETO DO GOVERNO DA BAHIA.

Por Alexandre Figueiredo

O governador da Bahia, Rui Costa, assinou, no dia 27 de julho último, em cerimônia realizada no Largo da Saúde, em Salvador, uma ordem de serviço para requalificação urbana dos bairros de Saúde, Barris, Santo Antônio Além do Carmo e Tororó.

Serão R$ 123 milhões, financiados pela Caixa Econômica Federal, a serem investidos aos poucos, destinados à renovação da infra-estrutura urbana de 200 ruas do Centro Antigo de Salvador (CAS), com o objetivo de fortalecer o turismo e desenvolver a qualidade de vida nessas áreas.

Os bairros contemplados na ocasião fazem parte do Lote 3. Cada grupo de bairros é dividido em cinco lotes, que correspondem a cada etapa de recuperação urbana dos locais e revalorização de sua estrutura urbana, constituindo um programa de obras com estimativa para ser finalizada em dois anos. Os lotes foram divididos em:

LOTE 1 - Comércio e Calçada, ambos na Cidade Baixa.

LOTE 2 - Centro, Campo Grande, trecho de Nazaré próximo à Piedade e Politeama.

LOTE 3 - Saúde, Barris, Santo Antônio Além do Carmo e Tororó.

LOTE 4 - Santo Antônio Além do Carmo (mais ao interior do bairro).

LOTE 5 - Barbalho, trecho de Nazaré próximo ao vale, Macaúbas, Soledade e Lapinha.

Em onze dos cerca de 200 bairros contemplados, novas calçadas de concreto lavado com detalhes em granito serão implantadas. Rampas com acesso para portadores de necessidades especiais, piso tátil direcional e de alerta também serão colocados em várias vias.

Serão criados também 13 km de ciclovias e 73 km de nova pavimentação, parte feita em asfalto nos seus 48 km e o restante em paralelepípedo reaproveitado, em 25km. As medidas visam estimular a acessibilidade e o lazer das pessoas, dando oportunidade ao passeio por bicicletas.

Segundo Rui Costa, há a intenção de estimular o trabalho e o comércio nessas áreas, permitindo a movimentação na Economia. Ele deu como exemplos de atividades comerciais a padaria, a barbearia e a lanchonete, que ele pretende integrar às atividades turísticas dos bairros.

O governador afirmou também sua intenção de se reunir com técnicos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) para discutir a revitalização de várias áreas e imóveis, que dependem do alvará do instituto para terem suas obras iniciadas. O projeto também conta com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Não houve qualquer referência quanto às áreas demolidas do Centro Histórico, já que a solução do problema dependerá de uma avaliação de técnicos da Unesco que irão avaliar a situação assim que visitarem a capital da Bahia.

Fontes: A Tarde, Tribuna da Bahia.

Comentários