Pular para o conteúdo principal

Postagens

MANUAL ORIENTA O PÚBLICO A CUIDAR DOS IMÓVEIS TOMBADOS

Postagens recentes

LITERATURA DE CORDEL É PATRIMÔNIO CULTURAL BRASILEIRO

Por Alexandre Figueiredo

A Literatura de Cordel, tradicional manifestação popular de origem portuguesa, tornou-se Patrimônio Cultural Brasileiro. A decisão foi tomada no último dia 19 de setembro, pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Histórico, colegiado comandado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), na pessoa da presidente Kátia Bogéa.

O colegiado decidiu pelo tombamento por unanimidade, em reunião realizada no Forte de Copacabana e que contou com a presença do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão e do presidente da Academia Brasileira de Literatura de Cordel, Gonçalo Ferreira.

A Literatura de Cordel é uma atividade artística que prioriza a produção de textos poéticos, com mensagens simples que servem muitas vezes não só como expressão de poesia, mas também como textos informativos, comentando os fatos do dia e homenageando datas. Em muitos casos, também se narram obituários, homenageando o morto da ocasião.

Eventualmente, textos de prosa também sã…

MUSEU NACIONAL SE REÚNE COM REPRESENTANTES DO IPHAN

Por Alexandre Figueiredo

Está marcada para hoje uma reunião entre a diretoria do Museu Nacional, representantes do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM). Surgido de um desmembramento do antigo Departamento de Museus (DEMU) do IPHAN, o IBRAM faz parte do Conselho Consultivo do IPHAN, com um representante especialmente designado para a função.

Segundo o diretor administrativo do Museu Nacional, Wagner William Martins, será realizada uma força-tarefa para avaliar e planejar os trabalhos de recuperação do prédio, situado em São Cristóvão, no Rio de Janeiro. Representantes da UNESCO também irão participar da reunião.

A recuperação do prédio também depende de avaliação do IPHAN, condição obrigatória para que se permitisse trabalhos de intervenção em prédios históricos tombados pelo instituto. O Museu Nacional está tombado pelo IPHAN há 80 anos.

Os trabalhos se dividem em dois planos. Há o plano emergencial, para o qual se…

O INCÊNDIO NO MUSEU NACIONAL E A TRAGÉDIA CULTURAL BRASILEIRA

MUSEU NACIONAL, NO RIO DE JANEIRO, APÓS O INCÊNDIO DE 02 DE SETEMBRO.

Por Alexandre Figueiredo

Não se chegou a um mês de completados os 200 anos do Museu Nacional, no Rio de Janeiro, que foi no último 06 de agosto de 2018, e uma tragédia tornou-se o efeito da indiferença que o poder público e a sociedade em geral sentiu pela instituição, que abrigava um rico acervo que, infelizmente, se perdeu para sempre.

Foi encerrar o expediente, no último dia 02 de setembro, para um incêndio surgir, provavelmente devido a um curto-circuito. O fogo se espalhou rapidamente, e o corpo de bombeiros chegou quando o incêndio já era intenso, destruindo quase que por completo seu acervo, restando muito poucas coisas, entre as quais o meteorito Bendegó, por ser resistente a altas temperaturas.

Perderam-se muitas obras de arte aplicada, muitos objetos de valor arqueológico de tribos ameríndias e de antigos povos egípcios. A recente reconstituição de uma mulher que teria vivido no território brasileiro duran…

II REUNIÃO DE GOVERNANÇA ACONTECE NO RIO DE JANEIRO

Por Alexandre Figueiredo

Os representantes de governos dos países da América do Sul, da África e o Timor Leste, na Ásia, tem novo encontro nos dias 30 e 31 de agosto, quando se realiza, no Centro Lúcio Costa, no Rio de Janeiro, a II Reunião de Governança, que conta também com a participação da Diretoria-Geral da UNESCO.

A reunião, promovida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), tem como objetivo avaliar as atividades de gestão e capacitação do patrimônio cultural, tanto no que se refere às ações que foram feitas, os desafios a serem enfrentados e os novos projetos a serem traçados.

No evento, será apresentado um relatório do Centro Lúcio Costa sobre seus últimos quatro anos de atividades de pesquisa aplicada e trabalhos de qualificação acadêmica e profissional, que permitiram a formação de cerca de 350 técnicos e 14 gestores de 14 dos países que estão envolvidos com atividades sobre o Patrimônio Mundial.

As ações afirmativas promovidas pelo CLC são base…

IPHAN INVESTE NA RESTAURAÇÃO DE IGREJAS NA BAHIA

Por Alexandre Figueiredo

Por intermédio do PAC das Cidades Históricas, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional segue realizando investimentos em restaurações de igrejas na Bahia, utilizando recursos de R$ 1,6 bilhão. Várias igrejas tiveram obras concluídas, outras ainda estão em andamento e outras ainda a se realizarem.

Durante nove anos, a Capela do Campo Santo, localizada junto ao cemitério do bairro do mesmo nome, situado no caminho entre o Canela e a Federação e situado próximo ao acesso à Av. Centenário, em Salvador, teve que cancelar suas missas devido às obras de restauração.

As missas só foram reiniciadas no templo depois que um minucioso trabalho de restauração fosse concluído e fossem também verificadas condições técnicas de segurança para as pessoas frequentarem o local. No último dia 18, a Capela do Campo Santo foi reinaugurada, voltando a ser uma opção de lazer e religiosidade à população.

Segundo o coordenador da Comissão de Arte Sacra da Arquidiocese d…

A CULTURA BRASILEIRA NO BRASIL EM CRISE

Por Alexandre Figueiredo

A crise brasileira vivida nos últimos anos se deu, em parte, pela contribuição de uma parcela de intelectuais elitistas, mas pretensamente progressistas, que, clamando pela "ruptura do preconceito", defendiam o establishment do entretenimento, envolvendo música e comportamento, exaltando fenômenos conservadores mas de forte apelo popular.

Não houve uma mea culpa oficial dessa intelectualidade, mas tão somente uma "mudança de assunto". Passaram a comentar sobre os deslizes da Rede Globo, sobre nomes esquecidos da MPB, sobre aborto, nos fazendo esquecer que essas pessoas defendiam ícones "populares demais" que eram patrocinados pela mesma Rede Globo que hoje dizem repudiar.

Quebrada a vidraça da cultura brasileira, a falácia do "combate ao preconceito", que na verdade era um mecanismo para prolongar modismos comerciais sob a retórica da "etnografia", do "ativismo" e da "provocatividade", fez …