Pular para o conteúdo principal

Postagens

MUDANÇAS REFORÇAM CARÁTER CONSERVADOR DA SECRETARIA DE CULTURA

Postagens recentes

A DÍVIDA DOS MAIS VELHOS PELA MELHORIA DA CULTURA BRASILEIRA

KEVIN O CHRIS - UM DOS MAIS NOVOS NOMES DO ULTRACOMERCIALISMO MUSICAL BRASILEIRO.

Por Alexandre Figueiredo

Há cerca de quinze anos, uma geração de empresários e profissionais liberais que haviam chegado aos 50 anos tentaram esbanjar suposta erudição cultural. Nomes como Roberto Justus, Almir Ghiarone, Malcolm Montgomery, Eduardo Menga e Walter Mundell, além de serem maridos de mulheres mais jovens e atraentes, procuravam parecer mais velhos do que sua geração normalmente foi.

Presentes nas colunas sociais mas eventualmente também aparecendo na televisão e no mercado literário, esses homens atuaram como se fossem "versões miniatura" da geração de intelectuais que esteve em evidência nos bares da vida em 1958: Millôr Fernandes (que prefaciou dois livros de Almir), Carlos Drummond de Andrade, Sérgio Porto, Nelson Rodrigues, Otto Lara Resende, Fernando Sabino, Vinícius de Moraes e outros.

Todos eles, em suas entrevistas, tentavam associar à sua imagem referenciais culturais mais…

SÍTIO ROBERTO BURLE MARX PODERÁ SE TORNAR PATRIMÔNIO MUNDIAL

Por Alexandre Figueiredo

O Sítio Roberto Burle Marx, situado em Barra de Guaratiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro, está a caminho de se tornar patrimônio mundial. Um técnico que representa o Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS), instituição fundada em 1972, visitou o local para avaliar a sua importância como patrimônio natural de todo o mundo.

O sítio é candidato ao título de patrimônio mundial e essa candidatura foi uma iniciativa coletiva, segundo a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Kátia Bogéa, ressaltando que essa condição era a única a ser feita e que "valoriza tanto o jardim como laboratório botânico e local de pesquisa, quanto a sua vocação paisagística e cultural".

Desde 1985, quando o próprio artista plástico Burle Marx doou o sítio para o IPHAN, o local funciona como um centro cultural. Sua média de visitantes gira em torno de 30 mil por ano, e o local foi o laboratório da intensa criatividade do paisagi…

COMO A DEGRADAÇÃO CULTURAL CHEGOU AO INCÊNDIO DA AMAZÔNIA

Por Alexandre Figueiredo
Qual a relação entre o suposto "combate ao preconceito" que a ideologia brega-popularesca propagou há mais de 15 anos com o incêndio que atinge boa parte da floresta amazônica atualmente? Muita coisa, se levarmos em conta que a bregalização cultural tirou o povo pobre do protagonismo, isolando os governos progressistas a ponto de abrir caminho para a retomada ultraconservadora que se iniciou em 2016 e se consagrou na vitória de Jair Bolsonaro em 2018.
A bregalização cultural já foi um projeto mais discreto, motivado pelas relações entre as oligarquias midiáticas e mercadológicas e setores do poder midiático de São Paulo. Fenômenos como o cantor cafona Orlando Dias - espécie de Luan Santana para o contexto de 1958-1963 - e o apresentador Jacinto Figueira Júnior - atração popularesca, em 1964, estranhamente lançada pela TV Cultura de São Paulo, emissora educativa dos Diários Associados - eram alguns exemplos dessa fase.
Depois cresceram a música brega…

IPHAN PODE USAR TRILHOS DE BONDES DE SÃO PAULO COMO PEÇAS DE EXPOSIÇÃO

Por Alexandre Figueiredo

Durante a realização de obras de revitalização do Vale do Anhangabaú, um dos principais e mais movimentados pontos do Centro de São Paulo, a retirada das pedras portuguesas revelou uma relíquia escondida: os trilhos dos bondes que circularam no local, durante décadas.

Uma lembrança da nostalgia dos bondes é revivida por este vestígio, que mostra a antiga história desse transporte coletivo, que na capital paulista teve sua origem conhecida em 1872, quando havia o bonde puxado a burro. O primeiro trajeto ligava a Rua do Carmo à Estação da Luz e atendia a interesses comerciais das elites cafeeiras da época.

Em 07 de maio de 1900 é realizada a primeira viagem de bonde elétrico, simbolizando a modernização urbana de São Paulo, cidade que teve um crescimento bastante acelerado. O sistema de bondes cresceu de tal forma que, na década de 1930, chegou a atingir 160 quilômetros dentro da capital paulista, quase duas vezes a extensão do metrô, que é de 96 quilômetros.

E…

NOVO ESPAÇO É INAUGURADO NA CONCEIÇÃO DA PRAIA, EM SALVADOR

Por Alexandre Figueiredo

Salvador está se reinventando, após um longo período de provincianismo que, hoje, parece começar seu ciclo no Rio de Janeiro. E, com os projetos de requalificação urbana e revitalização do Centro Histórico tanto na Cidade Alta quanto na Cidade Baixa, neste caso incluindo a Conceição da Praia, onde fica a igreja homônima e o Elevador Lacerda e o Mercado Modelo, dois dos cartões postais da capital baiana, dois imóveis foram restaurados e inaugurados como novos espaços de cultura.

Os dois edifícios são vizinhos à Basílica Nossa Senhora da Conceição da Praia, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) desde 1938, e serão administrados pela sua instituição, Irmandade Santíssimo Sacramento e Nossa Senhora da Conceição da Praia, integrada à Arquidiocese de Salvador.

Os edifícios servirão para a realização de recepções e cerimoniais de eventos, além de atuar como um espaço comunitário, interagindo com os moradores e visitantes nas ati…

COM CORTE DE VERBAS PARA EDUCAÇÃO, PRAGMATISMO DO RJ VAI LONGE DEMAIS

Por Alexandre Figueiredo

O estranho pragmatismo que contaminou o povo do Estado do Rio de Janeiro a partir dos anos 1990 está destruindo o Brasil. Elegendo Jair Bolsonaro presidente do Brasil, favorecido pela projeção supostamente polêmica do parlamentar, reeleito em 2014 dentro de uma bandeira ultraconservadora que elegeu também Eduardo Cunha, artífice do golpe político de 2016, o pragmatismo carioca encontrou seu auge, culminando no declínio do Brasil.

O que é pragmatismo? Dentro do contexto do cotidiano das pessoas comuns, é quando se pensa apenas em atender as necessidades mais imediatistas e diretamente ligadas com as atividades pessoais de cada indivíduo. Não se quer mais o melhor, mas o básico, dentro daquele clichê de que "isso não é aquela maravilha, mas está bom demais".

Com isso, renuncia-se a muitos benefícios. É como se, num restaurante, um freguês passasse a pedir somente feijão, arroz, alguma carne e uma salada, com o objetivo apenas de matar a fome. Há uma m…