Pular para o conteúdo principal

INCÊNDIO PODE TER COMPROMETIDO QUADROS PRECIOSOS


Por Alexandre Figueiredo

Numa época em que as gerações mais recentes desconhecem o que é a verdadeira cultura - a "cultura" que eles conhecem só é aquela imposta pela grande mídia - , quando ocorre alguma tragédia, a situação fica ainda mais preocupante.

Na noite de ontem (13/08/2012), aconteceu um incêndio na casa do colecionador de arte Jean Boghici, em Copacabana. Havia muitas obras de arte no local, incluindo quadros de Di Cavalcanti - como Samba (foto), de 1925 - , Tarsila do Amaral e até Carlos Vergara (que continua vivo e ativo).

Até agora não se sabe oficialmente o tamanho do prejuízo causado, mas o incêndio obrigou os moradores do prédio, localizado nos arredores da Rua Barata Ribeiro.

Segundo um morador, o incêndio teria começado no quarto. Vários documentos e quadros teriam sido atingidos. Não houve feridos nem vítimas fatais, mas os familiares do colecionador tiveram que sair imediatamente do prédio.

Em 2009, um incêndio atingiu outro apartamento no Leblon, e um casal de idosos perdeu uma outra coleção de obras de arte. Houve também, no mesmo ano, um incêndio que atingiu parte do acervo de Hélio Oiticica, no Jardim Botânico, também na Zona Sul do Rio. A coleção de Boghici iria ser exposta num evento que aconteceria no primeiro trimestre de 2013, no Museu de Arte do Rio. A citada obra de Di Cavalcanti seria uma das atrações do evento.

Deveríamos pensar o Brasil e seu patrimônio cultural. Medidas para proteger e guardar bens culturais, para difundi-los, para mostrarmos à sociedade, porque eles contam um pouco do que é nosso país, a relação dos brasileiros com o mundo em que vivem, a relação das gerações, dos fatos, dos valores, crenças etc.

Fica muito fácil defender a "cultura de massa" como se fosse "nossa verdadeira cultura", mas ela é muito duvidosa e supérflua em relação à missão de produzir conhecimento e valores sociais. O que a "cultura de massa" produz é apenas consumo, mercadoria. Parece "cultura", mas ela aparece como o "sabor artificial" dos enlatados culturais consumidos sobretudo pelos jovens.

Já a verdadeira cultura, viva, orgânica, verdadeiramente social, ela está em risco. Na semana passada, faleceram Celso Blues Boy e Magro (músico do MPB-4). Temos perdas humanas, danos materiais, mas, acima de tudo, um grande desprezo pela cultura de verdade.

"Cultura de verdade é o que o rádio toca, é o que aparece na TV", dizem muitos. Não é verdade. O que o pessoal pensa ser "cultura", é tão somente o engodo de entretenimento que consome, por decisão de executivos de rádio, de TV e da imprensa "popular".

O problema será o futuro da cultura brasileira, que, mais do que o enterro de seus falecidos e as perdas materiais diversas, será o total abandono pelas gerações futuras, "queimado" pelo incêndio do esquecimento mais esnobe, enterrado pelo desprezo impiedoso. Será assim que o Brasil se desenvolverá como potência e como sociedade? Certamente, não.

A mediocridade manterá o Brasil no atraso, por mais que a intelectualidade tente relativizar essa mediocridade tentando fazer ouro de estrume.

FONTES: Portal G1, Portal R7.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DE OSCAR NIEMEYER PARA O BRASIL E O MUNDO

Por Alexandre Figueiredo

Oscar Niemeyer, um dos mais renomados arquitetos brasileiros, nos deixou ontem à noite, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, a dez dias de completar 105 anos. Sofria insuficiência respiratória e desde novembro estava muito doente.

Foi uma vida longeva e ativa, em que Oscar, mesmo com a voz mais frágil, expressou sua lucidez nos últimos anos. Era um dos últimos remanescentes de uma produtiva geração de intelectuais que procurou pensar e agir pelo Brasil. Era formado em Arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes, atual Escola de Belas Artes da UFRJ, em 1934.

Era uma época em que a geração modernista já se consolidava como um grupo de intelectuais dedicados ao progresso sócio-cultural do Brasil. Mário de Andrade já atuava em cargos administrativos do governo paulista e depois se tornaria um dos fundadores do IPHAN, então conhecido como SPHAN (Serviço), juntamente com Rodrigo Melo Franco de Andrade.

A fundação do SPHAN, a partir de 1936 mas oficialment…

A CONTRIBUIÇÃO DE DURKHEIM À SOCIOLOGIA

Por Alexandre Figueiredo

A sociologia contemporânea deve seu avanço a Èmile Durkheim, fundador da escola francesa. Reconhecido mundialmente como um dos pensadores do conceito de coerção social, sua sociologia marcou-se pela combinação da sua teoria com a pesquisa empírica.

Èmile Durkheim nasceu em 15 de agosto de 1858, na cidade de Epinal, no noroeste francês, região localizada na fronteira com a Alemanha. Durkheim era de família judaica, mas do contrário que definia a tradição de seus familiares, ele recusou-se a seguir a carreira de rabino.

Não bastasse ele ter vivido numa época de grandes transformações no universo do pensamento mundial - a segunda metade do século XIX, tempo de profundas transformações tecnológicas e culturais na Europa - , ele também viveu em sua juventude as transformações referentes ao país onde nasceu e viveu, a França. Era a época do conflito com o exército alemão, que forçou os franceses a ceder o território da Lorena. Era também o período da Comuna de Paris, e…

FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO VIRA PATRIMÔNIO CULTURAL

Por Alexandre Figueiredo

A Feira de São Cristóvão, tradicional espaço de cultura nordestina na Zona Norte do Rio de Janeiro, é considerada patrimônio cultural. O presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, sancionou a lei, lançada pelo deputado federal Marcelo Itagiba (PSDB-RJ) e aprovado em votações na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

O tombamento veio em bom momento, uma vez que a Feira de São Cristóvão, que desde 2003 ganhou o nome de Centro Cultural Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas e também é conhecido popularmente como Feira dos Nordestinos ou Feira dos Paraíbas, estava ameaçada de ser despejada do Pavilhão de São Cristóvão, que abriga o evento, por causa de uma dívida de R$ 400 mil da Prefeitura do Rio de Janeiro com o Ecad. Com o tombamento, a Riotur não pode mais intervir no despejo da feira.

A feira é composta de aproximadamente 700 barracas relacionadas a diversas modalidades da cultura nordestina, como culinária, artesanato, trios, bandas de forró, dança,…