IPHAN REALIZA MEDIDAS DE PRESERVAÇÃO CULTURAL NA CIDADE DE GOIÁS


A PRAÇA DO CORETO, EM GOIÁS VELHO, É PALCO PARA O ENCONTRO DE SAMBISTAS DURANTE O CARNAVAL.

Alexandre Figueiredo

Já está em funcionamento a sede da Associação Atlética União Goiana (AAUG), cuja reinauguração foi celebrada no último dia 11 de fevereiro, com a exposição permanente Memória da Associação Atlética União Goyana, na cidade de Goiás. A exposição é resultante de uma ampla pesquisa, desenvolvida com a colaboração de técnicos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), com a finalidade de transmitir à memória cultural do Brasil a história do mais antigo bloco carnavalesco de Goiás.

O investimento financeiro para a restauração do edifício foi em torno de R$ 200 mil reais. Para elaboração do acervo de fatos e fotografias históricos sobre a AAUG, cujos registros estavam dispersos nos vários arquivos da cidade, uma cuidadosa pesquisa foi realizada, envolvendo acervo bibliográfico, textual, iconográfico, hemerotécnico (ou seja, periódicos ou artigos de jornais e revistas arquivados em bibliotecas), além de registros da memória oral da cidade e também de depoimentos relacionados ao tema.

A ideia do projeto é preservar a história cultural e desportiva da cidade de Goiás, antiga capital do Estado homônimo, além de manter a memória dos personagens que participaram na AAUG e que fizeram da associação um símbolo da resistência popular no Estado. A origem da AAUG se deu através do futebol, uma vez que a associação, atuante no carnaval municipal, também é uma agremiação desportiva.

O time de futebol que deu origem à AAUG havia surgido em 1924, mas foi no final de 1927 que a associação foi fundada. Já entre 1930 e 1932 a associação, sob a presidência de Cezar Alencastro Veiga, desfrutou um período de grande prestígio, que repercutiu não somente no município ou no Estado, mas teve reflexos fora dele. Isso se deu porque o time de futebol da União Goiana se destacou no esporte, tornando-se quase invencível em suas competições.

Em 1941, foi fundado oficialmente o bloco da Associação Atlética União Goiana, mas oficialmente sua origem remete a 1936, quando o pioneiro e tradicional bloco de carnaval de rua da cidade de Goiás surgiu a partir do conjunto musical Jazz União, dirigido por José Saddi e Ediberto Santana. O bloco foi fundado sob o comando de José Elias Pinheiro e João Telles.

A escola de samba surgiu bem depois, em 1973, quando José Elias Pinheiro e sua filha Madalena fizeram a iniciativa, sempre mantendo um quadro de integrantes fiéis à performance sambista nos desfiles e ensaios.

Uma das testemunhas da história da AAUG, Ildemar de Paiva, dá seu parecer sobre a escola: "a União tem a credencial de ser a mais antiga, composta de hábeis sambistas e de uma bateria de batida inconfundível. Desde quando a cidade tinha dois carnavais - o de salão e o de rua - os foliões da União, a céu aberto, esbaldavam-se, desinibidos e sensuais, em requebros e suores, numa alegria contagiante; uns turbinados a cachaça, outros de cara limpa. Quando a União passa, sob o som apocalíptico de sua bateria e o comando quase militar de Madalena, não há quem não arrepie".

No último dia 14, a AAUG participou de um desfile com as três escolas de samba da cidade de Goiás. As outras escolas foram a Leão de Ouro e a Mocidade Independente de João Francisco, que com a AAUG participaram da festa realizada na Praça do Coreto, no centro da cidade, na noite daquele dia 14. A União Goiana, como as demais, contou com cerca de 200 integrantes, e se destacou pela ala da bateria composta por 90 membros. A Mocidade Independente de João Francisco, no entanto, foi a que abriu os desfiles, depois da apresentação do Rei Momo e da Rainha e Princesa do Carnaval do município.

No dia anterior, 13 de fevereiro, a cidade de Goiás viu realizar-se no Mercado Municipal o Encontro do Samba, com apresentações de samba de raiz e de marchinhas da comunidade de Vila Boa, núcleo que deu origem ao município, promovidas por grupos de samba locais. Também foram apresentadas canções caipiras daquela região.

O Encontro do Samba foi realizado pela organização não-governamental Ação Comunitária e Cidadania de Goiás, que mantém a Rádio Comunitária Vila Boa FM. O evento também contou com a parceria do IPHAN, principalmente através de sua 14ª Superintendência Regional, localizada no Estado, e havia se tornado tradição durante as festividades carnavalescas da cidade.

Também conhecida como Goiás Velho, a antiga capital goiana foi reconhecida como Patrimônio Histórico da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

FONTES: IPHAN, Agência Brasil, Ministério Público Federal, Wikipedia.

Comentários