Pular para o conteúdo principal

ENCONTRO DISCUTE CIDADES HISTÓRICAS E PATRIMÔNIO MUNDIAL


Por Alexandre Figueiredo

Acontecerá, nos próximos dia 11 e 12 de abril, em Brasília, o 3º Encontro Brasileiro de Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial, que discutirá uma gestão de políticas nacionais para o setor. O evento é promovido pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) em parceria com a Confederação Nacional dos Municípios e da Organização das Cidades Brasileiras Patrimônio Mundial.

O evento reunirá representantes de instituições estaduais e federais, gestores municipais e também membros da sociedade civil, que debaterão os modos adequados de exploração turística, além de definir responsabilidades para a estruturação dessas localidades na condição de destinos turísticos.

Num tempo difícil como o dos últimos meses, é bastante desafiador no Brasil pensar a questão do turismo e do patrimônio cultural, discutindo a administração de políticas neste sentido, que envolvem questões como a facilitação de acesso a lugares históricos e ao conhecimento de seus edifícios, além de frequentar as festas e os eventos caraterísticos de cada localidade.

Na reunião ocorrida no último dia 09 de março, a presidente do IPHAN, Kátia Bogéa, o diretor do Departamento de Articulação e Fomento do IPHAN, Marcelo Brito, estiveram com o presidente da OCBPM, Mário Augusto Ribas, e a representante da CNM, Marta Feitosa, para discutir a contribuição que o instituto fará ao evento e as experiências de cada instituição que devem ser compartilhadas com a Rede Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial.

Está prevista também a análise sobre experiências similares feitas em Portugal, visitado por uma comitiva do IPHAN destinada a conhecer os trabalhos e os resultados dos sítios que são patrimônio mundial no país europeu.

O encontro irá avaliar também os projetos do PAC Cidades Históricas, considerado um marco nas políticas destinadas ao patrimônio cultural no Brasil e que, com a mudança do contexto político, encontra novos desafios e perspectivas. Nele serão informados recursos para recuperação e revitalização em 44 cidades beneficiadas pelo sistema, investimentos mantidos num cenário em que o atual governo do presidente Michel Temer estabelece restrições para verbas públicas.

Também serão retomadas iniciativas de gestão das cidades patrimônio mundial orientadas pelo IPHAN desde 2009 e que têm como base o acórdão 3155/2016 do Tribunal de Contas da União, voltados à facilitação de inúmeras condições de atendimento ao público que visita os lugares históricos e assiste aos eventos considerados patrimônio cultural.

Entre essas condições, estão a padronização da sinalização para facilitar o acesso e o deslocamento, a comunicação visual, a infraestrutura de transporte, as estratégias de divulgação e promoção, a iluminação e a segurança.

FONTES: IPHAN, Confederação Nacional dos Municípios.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COMUNIDADES INDÍGENAS DO ALTO-XINGU SÃO PATRIMÔNIO CULTURAL

Por Alexandre Figueiredo

As duas localidades situados no Mato Grosso que são considerados pelas tribos indígenas do Alto-Xingu como lugares sagrados tornaram-se patrimônio cultural por iniciativa do IPHAN.

O Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional aprovou há cinco dias, por unanimidade, o pedido de tombamento das localidades de Sagihengu e Kamukuwaká, feito por iniciativa das etnias Waurá, Kalapalo e Kamayurá e reforçado pelos técnicos do IPHAN.

Sagihengu e Kamukuwaká são lugares que fazem parte do Kwarup, a maior festa ritualística realizada pelos povos do Alto-Xingu. Nove etnias que formam seu complexo sócio-cultural participam, de forma compartilhada, dos rituais. Todavia, as duas áreas ainda estão fora do território demarcado pelo Governo do Parque Nacional do Xingu.

Observando essa limitação, os grupos indígenas formularam, em 2008, um pedido para o IPHAN de transformação da área em patrimônio cultural, garantindo a conservação e também o acesso …

A IMPORTÂNCIA DE OSCAR NIEMEYER PARA O BRASIL E O MUNDO

Por Alexandre Figueiredo

Oscar Niemeyer, um dos mais renomados arquitetos brasileiros, nos deixou ontem à noite, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, a dez dias de completar 105 anos. Sofria insuficiência respiratória e desde novembro estava muito doente.

Foi uma vida longeva e ativa, em que Oscar, mesmo com a voz mais frágil, expressou sua lucidez nos últimos anos. Era um dos últimos remanescentes de uma produtiva geração de intelectuais que procurou pensar e agir pelo Brasil. Era formado em Arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes, atual Escola de Belas Artes da UFRJ, em 1934.

Era uma época em que a geração modernista já se consolidava como um grupo de intelectuais dedicados ao progresso sócio-cultural do Brasil. Mário de Andrade já atuava em cargos administrativos do governo paulista e depois se tornaria um dos fundadores do IPHAN, então conhecido como SPHAN (Serviço), juntamente com Rodrigo Melo Franco de Andrade.

A fundação do SPHAN, a partir de 1936 mas oficialment…

PÓS-GRADUAÇÃO PAGA AGRAVARÁ GRANDES BARREIRAS PARA O CONHECIMENTO

Por Alexandre Figueiredo

Foi aprovada anteontem, na plenária da Câmara dos Deputados, a proposta que permite a cobrança de mensalidades em cursos de pós-graduação nas universidades públicas. A Proposta de Emenda Constitucional, cujo autor do texto original é o deputado Alex Canziani (PTB-PR) e com texto substitutivo do colega Cleber Verde (PRB-MA), ainda depende da votação no Senado para aprovação definitiva.

O projeto propõe que cursos universitários de pós-graduação lato sensu (especialização), assim como os de Mestrado profissional e extensão, cobrem taxas de mensalidades de seus alunos. Segundo seus defensores, a medida visa melhorar a arrecadação de recursos das instituições de ensino superior.

A proposta de pós-graduação paga, que contou com a oposição de partidos como PSOL, PC do B e o recém-criado REDE (Rede Sustentabilidade, de Marina Silva), embora o Partido dos Trabalhadores tenha deixado a questão facultativa (os petistas poderiam votar contra ou a favor, se quiserem), no…