IPHAN ELABORA INVENTÁRIO DE EXPRESSÕES CULTURAIS DO SERTÃO DA BAHIA


Por Alexandre Figueiredo

Está em andamento o inventário iniciado pelos técnicos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) sobre as manifestações da cultura do sertão baiano. As cidades de Monte Santo, Canudos e Euclides da Cunha são as cidades contempladas.

As cidades participam do trabalho do Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC) dedicado à região e as técnicas do Departamento de Patrimônio Imaterial do IPHAN, Maria Paula Aldinolfi e Nalva Santos, desenvolvem as pesquisas em parceria com o Centro de Estudos Euclides da Cunha, ligado à Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

Entre as expressões identificadas nos resultados preliminares do inventário, estão manifestações próprias da população rural como a corrida de argolinhas, conhecida competição entre vaqueiros montados a cavalo, e o "batalhão roubado", nome dado a um multirão de plantação de milho que é sempre trabalhada com cantorias, com os homens na roça e as mulheres na cozinha.

Outras manifestações que começam a ter seus dados colhidos e estudados são o quebra-pote, a festa de vaqueiros, o terno de reis, a banda de pífanos, o toque de sanfona, a vaquejada, as rezadeiras, curandeiras e benzedeiras e as atividades artesanais de cerâmica, de palha e de folha de bananeira.

Reuniões estão sendo feitas com diversas entidades e instituições locais para que seus representantes apresentassem sugestões, complementações e correções. Associações culturais, prefeituras, câmaras de vereadores, igrejas católicas, de várias organizações locais tiveram seus representantes na reunião, assim como a UNEB.

Durante o encontro, os representantes apresentaram ideias e propostas com o objetivo de garantir o fortalecimento e a preservação da cultura local. Muitas dessas sugestões foram relacionadas ao incentivo à aquisição de produtos artesanais e sua exposição e comercialização.

Outras sugestões se relacionaram à compra, pelo poder municipal, de instrumentos, indumentárias e outros implementos necessários à continuidade das bandas de pífanos, do toque da sanfona e dos ternos de reis, manifestações musicais e performáticas muito antigas no sertão baiano.

Da mesma forma, foi apresentada a sugestão de contratação de grupos musicais, ligados às formas de expressão tradicionais, para apresentação nas festas promovidas pelos municípios da região, estimulando principalmente as datas comemorativas existentes.

Fonte: IPHAN.

Comentários