Pular para o conteúdo principal

UNIÃO PEDE QUE MUSEU DO ÍNDIO SEJA TOMBADO


Por Alexandre Figueiredo

Na última segunda-feira, o governo do Estado do Rio de Janeiro anunciou a demolição do Museu do Índio, situado ao lado do Estádio Mário Filho, o Maracanã, na cidade do Rio de Janeiro. Informado do anúncio, a Defensoria Pública da União entrou com uma ação civil pública pedindo que o museu seja tombado.

O anúncio da demolição do prédio pelo governo fluminense teve como justificativa a intenção de atender aos padrões internacionais de construção de estádios, já que a área serviria, nesse raciocínio, para criar um amplo acesso de saída dos frequentadores do estádio.

O governo estadual ainda acrescentou que irá assinar a declaração de compra do terreno, avaliado em R$ 60 milhões, para efetuar o processo de demolição e construir o acesso no museu, em cuja área existe também uma comunidade indígena.

Abandonado há 33 anos, o Museu do Índio foi criado pelo antropólogo Darcy Ribeiro, em 1953, para guardar acervos relacionados à cultura indígena, pesquisas etnográficas e outros documentos, com o objetivo de promover uma abordagem dos indígenas brasileiros desprovida dos preconceitos etnocêntricos muito comuns no passado.

Sem reformas, o museu até mantém a estrutura de seu prédio principal, depois que a instituição deixou o prédio, 25 anos após sua fundação. Mas o risco de demolição do terreno pode também afetar a vida das 17 tribos que vivem nele. Os indígenas se instalaram no terreno com o objetivo de tentar salvar o museu.

FIFA - A Federação Internacional de Futebol Association (FIFA) desmentiu que tenha ordenado o governo do Estado do Rio de Janeiro a demolir o Museu do Índio para a construção de um acesso de saída do Maracanã.

Em nota divulgada, a Fifa acrescentou que a preservação de edifícios de reconhecido valor artístico e cultural está de acordo com as exigências da Fifa para a preparação das cidades brasileiras para a realização da Copa de 2014.

O defensor André Ordacgy, que entrou com a ação civil pública, afirmou que o museu tem reconhecido valor histórico, cultural e arquitetônico, e afirmou que existe um laudo do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia que dá ênfase à importância do terreno e garante que sua área não compromete a circulação de pessoas no estádio.

O defensor pretende também mover uma outra ação civil pública para pedir a permanência dos índios no terreno, já que as tribos vivem há pouco mais de cinco anos no lugar e, segundo a lei, têm direito ao usucapião.

Fonte: G1, Museu do Índio.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DE OSCAR NIEMEYER PARA O BRASIL E O MUNDO

Por Alexandre Figueiredo

Oscar Niemeyer, um dos mais renomados arquitetos brasileiros, nos deixou ontem à noite, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, a dez dias de completar 105 anos. Sofria insuficiência respiratória e desde novembro estava muito doente.

Foi uma vida longeva e ativa, em que Oscar, mesmo com a voz mais frágil, expressou sua lucidez nos últimos anos. Era um dos últimos remanescentes de uma produtiva geração de intelectuais que procurou pensar e agir pelo Brasil. Era formado em Arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes, atual Escola de Belas Artes da UFRJ, em 1934.

Era uma época em que a geração modernista já se consolidava como um grupo de intelectuais dedicados ao progresso sócio-cultural do Brasil. Mário de Andrade já atuava em cargos administrativos do governo paulista e depois se tornaria um dos fundadores do IPHAN, então conhecido como SPHAN (Serviço), juntamente com Rodrigo Melo Franco de Andrade.

A fundação do SPHAN, a partir de 1936 mas oficialment…

A CONTRIBUIÇÃO DE DURKHEIM À SOCIOLOGIA

Por Alexandre Figueiredo

A sociologia contemporânea deve seu avanço a Èmile Durkheim, fundador da escola francesa. Reconhecido mundialmente como um dos pensadores do conceito de coerção social, sua sociologia marcou-se pela combinação da sua teoria com a pesquisa empírica.

Èmile Durkheim nasceu em 15 de agosto de 1858, na cidade de Epinal, no noroeste francês, região localizada na fronteira com a Alemanha. Durkheim era de família judaica, mas do contrário que definia a tradição de seus familiares, ele recusou-se a seguir a carreira de rabino.

Não bastasse ele ter vivido numa época de grandes transformações no universo do pensamento mundial - a segunda metade do século XIX, tempo de profundas transformações tecnológicas e culturais na Europa - , ele também viveu em sua juventude as transformações referentes ao país onde nasceu e viveu, a França. Era a época do conflito com o exército alemão, que forçou os franceses a ceder o território da Lorena. Era também o período da Comuna de Paris, e…

FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO VIRA PATRIMÔNIO CULTURAL

Por Alexandre Figueiredo

A Feira de São Cristóvão, tradicional espaço de cultura nordestina na Zona Norte do Rio de Janeiro, é considerada patrimônio cultural. O presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, sancionou a lei, lançada pelo deputado federal Marcelo Itagiba (PSDB-RJ) e aprovado em votações na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

O tombamento veio em bom momento, uma vez que a Feira de São Cristóvão, que desde 2003 ganhou o nome de Centro Cultural Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas e também é conhecido popularmente como Feira dos Nordestinos ou Feira dos Paraíbas, estava ameaçada de ser despejada do Pavilhão de São Cristóvão, que abriga o evento, por causa de uma dívida de R$ 400 mil da Prefeitura do Rio de Janeiro com o Ecad. Com o tombamento, a Riotur não pode mais intervir no despejo da feira.

A feira é composta de aproximadamente 700 barracas relacionadas a diversas modalidades da cultura nordestina, como culinária, artesanato, trios, bandas de forró, dança,…