Pular para o conteúdo principal

FALTA MUSEU EM OITO DE CADA DEZ CIDADES NO BRASIL


PRESENÇA CONSTANTE DE MUSEUS - Privilégio das grandes cidades, como no caso do MASP, em São Paulo.

Por Alexandre Figueiredo

Um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) mostra que o número de museus existentes no Brasil nos últimos quatro anos é de 3.025, distribuídos em apenas 21,1% dos municípios brasileiros. Ou seja, é o preocupante dado comparativo de que, em cada dez cidades, falta algum museu em oito delas.

Os dados fazem parte do levantamento Museu em Números, que divulgará todas as informações detalhadas nesta terça-feira., 14. O presidente do IBRAM, José do Nascimento Júnior, afirma que o número de museus existentes no Brasil é pequeno, se comparado com o de outros países, e lamenta que somente os grandes municípios dispõem de museus.

Nascimento Júnior também lamenta que muitos dos municípios do Norte, Nordeste e Centro-Oeste não possuem tradição de valorização dos museus, que não existe uma cultura que estimule a população a visitar essas instituições. "Boa parte dos municípios do interior brasileiro ainda não se relaciona com esse universo. Ou seja, o interior, o Centro-Oeste, o Nordeste e a Região Norte ainda não têm uma estrutura cultural que dê para o conjunto dos seus cidadãos a oportunidade de se relacionar com museus", disse.

O presidente do IBRAM acrescenta que o número de museus no país supera o de cinemas e teatros existentes, mas afirma que ainda é insuficiente. "
Se pensarmos no contexto de outros países, ainda temos um trabalho muito grande. Não é apenas ter o museu, mas ressaltar a importância de não se ter um museu. Significa que parte da história do país, da memória local, não está sendo preservada. A busca do Ibram e da Política Nacional de Museu e, agora com o plano setorial, é que nos próximos dez anos possamos mudar essa realidade", disse Nascimento Júnior.

Ele constata que, com as dificuldades de investir, a curto prazo, na ampliação de número de museus que atinja a totalidade, o IBRAM espera que, pelo menos, nos próximos dez anos a presença de museus alcance 50% do total de municípios do Brasil.

O setor de museus, no passado, sofreu uma longa fase sem investimentos. Ainda como no comando da Diretoria de Museus e Unidades Museológicas (DEMU) do IPHAN, órgão que deu origem ao atual IBRAM, Nascimento Júnior destaca que em 2003 o Governo Federal investiu R$ 20 milhões para a área de museus. Em 2009, último ano em que o setor era controlado pelo IPHAN, o investimento foi seis meses maior que o de 2003.

Nascimento Júnior, antevendo a situação do turismo brasileiro devido à Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, afirma que os recursos financeiros terão que ser maiores para superar o déficit enfrentado pelo setor museológico até agora. O público que irá ver os jogos poderá também se interessar pela memória histórica brasileira. O presidente do IBRAM acredita que serão necessários, pelo menos, R$ 200 milhões por ano para que a área de museus atinja um nível adequado de apresentação e opções para o público brasileiro e estrangeiro.

FONTE: Agência Brasil.

Comentários

Cido disse…
O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional lançou dois editais da área de pesquisa e documentação:

6º Edital de Seleção do Programa de Especialização em Patrimônio (PEP).
Este Programa de bolsas destina-se a profissionais recém-graduados em diversas áreas do conhecimento, para sua especialização no campo da preservação do patrimônio cultural durante 2 anos. Os candidatos selecionados serão especializados por meio de sua integração nas unidades do Iphan, distribuídos conforme tabelas do 6º Edital do PEP, disponível no Portal do Iphan: www.iphan.gov.br. As inscrições estão abertas até o dia 4 de março de 2011 e as atividades do Programa terão início em 1º de agosto de 2011.

2º Edital de Seleção de Pesquisas sobre a Preservação do Patrimônio Cultural no Brasil.
A seleção visa ao apoio e fomento de pesquisas nessa área do conhecimento por meio da concessão de bolsas a pesquisadores pós-graduados. O objetivo da seleção consiste em apoiar pessoas físicas a desenvolverem pesquisas sobre ações e políticas de preservação do Patrimônio Cultural no Brasil. As inscrições estão abertas até o dia 28 de fevereiro de 2011 e a íntegra do edital se encontra no Portal do Iphan: www.iphan.gov.br.

Solicitamos a colaboração de todos para divulgação.

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DE OSCAR NIEMEYER PARA O BRASIL E O MUNDO

Por Alexandre Figueiredo

Oscar Niemeyer, um dos mais renomados arquitetos brasileiros, nos deixou ontem à noite, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, a dez dias de completar 105 anos. Sofria insuficiência respiratória e desde novembro estava muito doente.

Foi uma vida longeva e ativa, em que Oscar, mesmo com a voz mais frágil, expressou sua lucidez nos últimos anos. Era um dos últimos remanescentes de uma produtiva geração de intelectuais que procurou pensar e agir pelo Brasil. Era formado em Arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes, atual Escola de Belas Artes da UFRJ, em 1934.

Era uma época em que a geração modernista já se consolidava como um grupo de intelectuais dedicados ao progresso sócio-cultural do Brasil. Mário de Andrade já atuava em cargos administrativos do governo paulista e depois se tornaria um dos fundadores do IPHAN, então conhecido como SPHAN (Serviço), juntamente com Rodrigo Melo Franco de Andrade.

A fundação do SPHAN, a partir de 1936 mas oficialment…

A CONTRIBUIÇÃO DE DURKHEIM À SOCIOLOGIA

Por Alexandre Figueiredo

A sociologia contemporânea deve seu avanço a Èmile Durkheim, fundador da escola francesa. Reconhecido mundialmente como um dos pensadores do conceito de coerção social, sua sociologia marcou-se pela combinação da sua teoria com a pesquisa empírica.

Èmile Durkheim nasceu em 15 de agosto de 1858, na cidade de Epinal, no noroeste francês, região localizada na fronteira com a Alemanha. Durkheim era de família judaica, mas do contrário que definia a tradição de seus familiares, ele recusou-se a seguir a carreira de rabino.

Não bastasse ele ter vivido numa época de grandes transformações no universo do pensamento mundial - a segunda metade do século XIX, tempo de profundas transformações tecnológicas e culturais na Europa - , ele também viveu em sua juventude as transformações referentes ao país onde nasceu e viveu, a França. Era a época do conflito com o exército alemão, que forçou os franceses a ceder o território da Lorena. Era também o período da Comuna de Paris, e…

FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO VIRA PATRIMÔNIO CULTURAL

Por Alexandre Figueiredo

A Feira de São Cristóvão, tradicional espaço de cultura nordestina na Zona Norte do Rio de Janeiro, é considerada patrimônio cultural. O presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, sancionou a lei, lançada pelo deputado federal Marcelo Itagiba (PSDB-RJ) e aprovado em votações na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

O tombamento veio em bom momento, uma vez que a Feira de São Cristóvão, que desde 2003 ganhou o nome de Centro Cultural Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas e também é conhecido popularmente como Feira dos Nordestinos ou Feira dos Paraíbas, estava ameaçada de ser despejada do Pavilhão de São Cristóvão, que abriga o evento, por causa de uma dívida de R$ 400 mil da Prefeitura do Rio de Janeiro com o Ecad. Com o tombamento, a Riotur não pode mais intervir no despejo da feira.

A feira é composta de aproximadamente 700 barracas relacionadas a diversas modalidades da cultura nordestina, como culinária, artesanato, trios, bandas de forró, dança,…