BRASIL JÁ TEM MAIS DE 2600 INSTITUIÇÕES MUSEOLÓGICAS



Por Alexandre Figueiredo

Foi concluído, no início deste mês, o levantamento estatístico dos museus brasileiros, realizado pelo Departamento de Museus e Centros Culturais do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). A conclusão da pesquisa se deu num período próximo à futura criação do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), entidade que se dedicará exclusivamente aos museus, aliviando as responsabilidades do IPHAN.

O levantamento constatou um aumento de 10,2% de abrangência em relação à avaliação anterior. Em 2006, o levantamento constatou que o país tinha 2.374 instituições museológicas, enquanto o levantamento recente mostra que o número cresceu para 2.618.

De acordo com o resultado do levantamento, dos 2.618 museus mapeados, a maioria, no total de 2.410 museus, está aberta à visitação pública. Os outros 78 museus estão em fase de implantação, enquanto os demais 112 estão fechados ao público. 2600 instituições são consideradas presenciais e apenas 18 são virtuais.

O quadro de densidade dos museus, assim como no levantamento anterior, mostra uma posição privilegiada da Região Sudeste. Na região existem 1.031 instituições. O Estado de São Paulo tem o maior número de unidades museológicas, sendo 442 instituições, correspondentes a 42,9% do total. Em seguida, aparecem Minas Gerais, com 318, cerca de 30,8%, e o Estado do Rio de Janeiro, com 220 instituições, equivalentes a 21,3%. Em último, está o Estado do Espírito Santo, com 51 instituições, cerca de 5%.

A segunda região com mais museus é a Região Sul, com um total de 727 unidades, sendo que 50,4% estão localizadas no Rio Grande do Sul. A Região Nordeste vem atrás, com 541 museus, enquanto a região Centro-Oeste tem 185 museus. No Nordeste, a Bahia lidera no número de museus, que é de 144, enquanto o Ceará tem 107 e Pernambuco conta com 87. A Região Norte tem a menor quantidade de museus, 118, sendo que a maior parte está localizada nos Estados de Pará (40) e Amazonas (28). Roraima é o Estado brasileiro com menor quantidade de museus, tendo apenas 2.

A pesquisa também apresenta o quadro do vínculo administrativo dos museus no país. Conforme os dados do levantamento, as instituições museológicas são 29% controladas pela iniciativa privada. A maioria, no entanto, é controlada pelo poder público, atingindo índice de 71%. Das instituições museológicas públicas, por sua vez, 37% são administradas pelo poder municipal.

O Cadastro Nacional de Museus foi lançado em março de 2006, ano do seu primeiro levantamento. Destinado a divulgar as caraterísticas, serviços e atividades dos museus, o Cadastro contribui para diagnosticar a situação do setor museológico, de forma que esta avaliação influa no planejamento de políticas para melhorar o setor. Originalmente uma iniciativa do Departamento de Museus e Centros Culturais do IPHAN, o CNM virá a se tornar um instrumento decisivo para os trabalhos do IBRAM, a ser implantado em breve.

FONTE: Revista Museu, Sistema Brasileiro de Museus.

Comentários