Pular para o conteúdo principal

BRASIL JÁ TEM MAIS DE 2600 INSTITUIÇÕES MUSEOLÓGICAS



Por Alexandre Figueiredo

Foi concluído, no início deste mês, o levantamento estatístico dos museus brasileiros, realizado pelo Departamento de Museus e Centros Culturais do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). A conclusão da pesquisa se deu num período próximo à futura criação do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), entidade que se dedicará exclusivamente aos museus, aliviando as responsabilidades do IPHAN.

O levantamento constatou um aumento de 10,2% de abrangência em relação à avaliação anterior. Em 2006, o levantamento constatou que o país tinha 2.374 instituições museológicas, enquanto o levantamento recente mostra que o número cresceu para 2.618.

De acordo com o resultado do levantamento, dos 2.618 museus mapeados, a maioria, no total de 2.410 museus, está aberta à visitação pública. Os outros 78 museus estão em fase de implantação, enquanto os demais 112 estão fechados ao público. 2600 instituições são consideradas presenciais e apenas 18 são virtuais.

O quadro de densidade dos museus, assim como no levantamento anterior, mostra uma posição privilegiada da Região Sudeste. Na região existem 1.031 instituições. O Estado de São Paulo tem o maior número de unidades museológicas, sendo 442 instituições, correspondentes a 42,9% do total. Em seguida, aparecem Minas Gerais, com 318, cerca de 30,8%, e o Estado do Rio de Janeiro, com 220 instituições, equivalentes a 21,3%. Em último, está o Estado do Espírito Santo, com 51 instituições, cerca de 5%.

A segunda região com mais museus é a Região Sul, com um total de 727 unidades, sendo que 50,4% estão localizadas no Rio Grande do Sul. A Região Nordeste vem atrás, com 541 museus, enquanto a região Centro-Oeste tem 185 museus. No Nordeste, a Bahia lidera no número de museus, que é de 144, enquanto o Ceará tem 107 e Pernambuco conta com 87. A Região Norte tem a menor quantidade de museus, 118, sendo que a maior parte está localizada nos Estados de Pará (40) e Amazonas (28). Roraima é o Estado brasileiro com menor quantidade de museus, tendo apenas 2.

A pesquisa também apresenta o quadro do vínculo administrativo dos museus no país. Conforme os dados do levantamento, as instituições museológicas são 29% controladas pela iniciativa privada. A maioria, no entanto, é controlada pelo poder público, atingindo índice de 71%. Das instituições museológicas públicas, por sua vez, 37% são administradas pelo poder municipal.

O Cadastro Nacional de Museus foi lançado em março de 2006, ano do seu primeiro levantamento. Destinado a divulgar as caraterísticas, serviços e atividades dos museus, o Cadastro contribui para diagnosticar a situação do setor museológico, de forma que esta avaliação influa no planejamento de políticas para melhorar o setor. Originalmente uma iniciativa do Departamento de Museus e Centros Culturais do IPHAN, o CNM virá a se tornar um instrumento decisivo para os trabalhos do IBRAM, a ser implantado em breve.

FONTE: Revista Museu, Sistema Brasileiro de Museus.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DE OSCAR NIEMEYER PARA O BRASIL E O MUNDO

Por Alexandre Figueiredo

Oscar Niemeyer, um dos mais renomados arquitetos brasileiros, nos deixou ontem à noite, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, a dez dias de completar 105 anos. Sofria insuficiência respiratória e desde novembro estava muito doente.

Foi uma vida longeva e ativa, em que Oscar, mesmo com a voz mais frágil, expressou sua lucidez nos últimos anos. Era um dos últimos remanescentes de uma produtiva geração de intelectuais que procurou pensar e agir pelo Brasil. Era formado em Arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes, atual Escola de Belas Artes da UFRJ, em 1934.

Era uma época em que a geração modernista já se consolidava como um grupo de intelectuais dedicados ao progresso sócio-cultural do Brasil. Mário de Andrade já atuava em cargos administrativos do governo paulista e depois se tornaria um dos fundadores do IPHAN, então conhecido como SPHAN (Serviço), juntamente com Rodrigo Melo Franco de Andrade.

A fundação do SPHAN, a partir de 1936 mas oficialment…

A CONTRIBUIÇÃO DE DURKHEIM À SOCIOLOGIA

Por Alexandre Figueiredo

A sociologia contemporânea deve seu avanço a Èmile Durkheim, fundador da escola francesa. Reconhecido mundialmente como um dos pensadores do conceito de coerção social, sua sociologia marcou-se pela combinação da sua teoria com a pesquisa empírica.

Èmile Durkheim nasceu em 15 de agosto de 1858, na cidade de Epinal, no noroeste francês, região localizada na fronteira com a Alemanha. Durkheim era de família judaica, mas do contrário que definia a tradição de seus familiares, ele recusou-se a seguir a carreira de rabino.

Não bastasse ele ter vivido numa época de grandes transformações no universo do pensamento mundial - a segunda metade do século XIX, tempo de profundas transformações tecnológicas e culturais na Europa - , ele também viveu em sua juventude as transformações referentes ao país onde nasceu e viveu, a França. Era a época do conflito com o exército alemão, que forçou os franceses a ceder o território da Lorena. Era também o período da Comuna de Paris, e…

FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO VIRA PATRIMÔNIO CULTURAL

Por Alexandre Figueiredo

A Feira de São Cristóvão, tradicional espaço de cultura nordestina na Zona Norte do Rio de Janeiro, é considerada patrimônio cultural. O presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, sancionou a lei, lançada pelo deputado federal Marcelo Itagiba (PSDB-RJ) e aprovado em votações na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

O tombamento veio em bom momento, uma vez que a Feira de São Cristóvão, que desde 2003 ganhou o nome de Centro Cultural Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas e também é conhecido popularmente como Feira dos Nordestinos ou Feira dos Paraíbas, estava ameaçada de ser despejada do Pavilhão de São Cristóvão, que abriga o evento, por causa de uma dívida de R$ 400 mil da Prefeitura do Rio de Janeiro com o Ecad. Com o tombamento, a Riotur não pode mais intervir no despejo da feira.

A feira é composta de aproximadamente 700 barracas relacionadas a diversas modalidades da cultura nordestina, como culinária, artesanato, trios, bandas de forró, dança,…