Pular para o conteúdo principal

SALVADOR APELA PARA UNESCO PARA TENTAR SALVAR CENTRO HISTÓRICO


Por Alexandre Figueiredo

Salvador, considerada Patrimônio Histórico da Humanidade pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), está ameaçada. Com seus edifícios históricos entregues ao abandono e à falta de manutenção, eles sofrem com as fortes chuvas, que geram deslizamentos e desabamentos, que tiveram várias mortes e muitos danos.

O descaso com o patrimônio histórico e a especulação imobiliária estimulada pelo mercado turístico e pelos projetos empresariais fez com que, não bastasse essa situação dramática, a capital baiana tivesse que ver 31 edificações históricas serem demolidas por iniciativa do prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto, o ACM Neto.

Muitos dos cinco mil casarões antigos só possuem a fachada e vários estão seriamente danificados e com risco de desabamento. Várias famílias ainda vivem em muitos deles, situados no entorno que envolve desde o bairro de Santo Antônio até a área do Pelourinho, além de ruas que ligam áreas como a Praça Castro Alves, Rua Chile, Baixa dos Sapateiros, Nazaré e Av. Sete de Setembro.

Manifesto enviado pelo Instituto dos Arquitetos da Bahia (IAB), Conselho de Arquitetura e Urbanismo da Bahia (CAU/BA) e pelo Sindicato dos Arquitetos e Urbanistas Baianos (Sintarq) à UNESCO revela preocupação com as demolições ocorridas em áreas como a Ladeira da Montanha e a Conceição da Praia.

Segundo os arquitetos, estas áreas, de considerável potencial turístico, são cobiçadas pelos empreiteiros e empresários do ramo hoteleiro, sendo alvo da especulação imobiliária que, de forma predatória, ocupa espaços urbanos nas grandes cidades visando grandes resultados econômicos.

Os arquitetos se queixam que as 31 demolições ocorreram por iniciativa de ACM Neto e sob o consentimento dos técnicos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), há muito adotando posições problemáticas em relação ao patrimônio de Salvador.

Em 2008, a 7ª Superintendência Regional da Bahia, sediada na Barroquinha, também dentro do Centro Histórico de Salvador, passou por uma gestão que se recusava a recuperar os casarões históricos, sob o argumento de que as obras de reparo iriam "falsificar" a estrutura histórica das edificações, consistindo nelas intervenções posteriores à estrurura original destas construções.

A alegação causou protesto entre os defensores do patrimônio histórico e a UNESCO chegou a ameaçar retirar o título de Patrimônio da Humanidade para a cidade de Salvador. Agora, é a vez do IPHAN consentir com as demolições de 31 casas, sob a alegação de que os imóveis "não tinham mais valor que justificasse sua preservação".

Segundo o articulista Luiz Antônio de Souza, que denunciou que havia demolições nas áreas do Taboão (área de ligação entre os bairros Comércio, Santo Antônio, Pelourinho e Baixa dos Sapateiros), políticas desarticuladas de intervenção urbana feitas sem qualquer tipo de transparência.

A UNESCO tem uma lista que contém patrimônios históricos em risco. São 48 sítios, nenhum dos quais situado no Brasil. Dois sítios já perderam o título: a cidade de Dresden, na Alemanha, e o Santuário de Órix da Arábia, em Omã. Segundo a coordenadora de Cultura da UNESCO no Brasil, Patrícia Reis, não há esse risco para Salvador, mas é preciso fazer uma "reflexão profunda".

Os arquitetos que assinaram manifesto enviado à UNESCO querem que uma missão do órgão viaje para Salvador para avaliar a situação. De acordo com o secretário de Cultura e Turismo de Salvador, Érico Mendonça, a vinda da missão será benéfica para reforçar parcerias entre as três esferas de governo.

FONTES: Folha de São Paulo, Universo On Line.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COMUNIDADES INDÍGENAS DO ALTO-XINGU SÃO PATRIMÔNIO CULTURAL

Por Alexandre Figueiredo

As duas localidades situados no Mato Grosso que são considerados pelas tribos indígenas do Alto-Xingu como lugares sagrados tornaram-se patrimônio cultural por iniciativa do IPHAN.

O Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional aprovou há cinco dias, por unanimidade, o pedido de tombamento das localidades de Sagihengu e Kamukuwaká, feito por iniciativa das etnias Waurá, Kalapalo e Kamayurá e reforçado pelos técnicos do IPHAN.

Sagihengu e Kamukuwaká são lugares que fazem parte do Kwarup, a maior festa ritualística realizada pelos povos do Alto-Xingu. Nove etnias que formam seu complexo sócio-cultural participam, de forma compartilhada, dos rituais. Todavia, as duas áreas ainda estão fora do território demarcado pelo Governo do Parque Nacional do Xingu.

Observando essa limitação, os grupos indígenas formularam, em 2008, um pedido para o IPHAN de transformação da área em patrimônio cultural, garantindo a conservação e também o acesso …

A IMPORTÂNCIA DE OSCAR NIEMEYER PARA O BRASIL E O MUNDO

Por Alexandre Figueiredo

Oscar Niemeyer, um dos mais renomados arquitetos brasileiros, nos deixou ontem à noite, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, a dez dias de completar 105 anos. Sofria insuficiência respiratória e desde novembro estava muito doente.

Foi uma vida longeva e ativa, em que Oscar, mesmo com a voz mais frágil, expressou sua lucidez nos últimos anos. Era um dos últimos remanescentes de uma produtiva geração de intelectuais que procurou pensar e agir pelo Brasil. Era formado em Arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes, atual Escola de Belas Artes da UFRJ, em 1934.

Era uma época em que a geração modernista já se consolidava como um grupo de intelectuais dedicados ao progresso sócio-cultural do Brasil. Mário de Andrade já atuava em cargos administrativos do governo paulista e depois se tornaria um dos fundadores do IPHAN, então conhecido como SPHAN (Serviço), juntamente com Rodrigo Melo Franco de Andrade.

A fundação do SPHAN, a partir de 1936 mas oficialment…

PÓS-GRADUAÇÃO PAGA AGRAVARÁ GRANDES BARREIRAS PARA O CONHECIMENTO

Por Alexandre Figueiredo

Foi aprovada anteontem, na plenária da Câmara dos Deputados, a proposta que permite a cobrança de mensalidades em cursos de pós-graduação nas universidades públicas. A Proposta de Emenda Constitucional, cujo autor do texto original é o deputado Alex Canziani (PTB-PR) e com texto substitutivo do colega Cleber Verde (PRB-MA), ainda depende da votação no Senado para aprovação definitiva.

O projeto propõe que cursos universitários de pós-graduação lato sensu (especialização), assim como os de Mestrado profissional e extensão, cobrem taxas de mensalidades de seus alunos. Segundo seus defensores, a medida visa melhorar a arrecadação de recursos das instituições de ensino superior.

A proposta de pós-graduação paga, que contou com a oposição de partidos como PSOL, PC do B e o recém-criado REDE (Rede Sustentabilidade, de Marina Silva), embora o Partido dos Trabalhadores tenha deixado a questão facultativa (os petistas poderiam votar contra ou a favor, se quiserem), no…