Pular para o conteúdo principal

RIO GRANDE DO SUL SEDIA ENCONTRO DE EDUCAÇÃO E PATRIMÔNIO CULTURAL



Por Alexandre Figueiredo

Será realizado no próximo mês, em Porto Alegre, o Encontro de Educação e Patrimônio Cultural: estratégias para o desenvolvimento de cidades, no Auditório Um da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS.

No evento, acontecerão conferências e debates que relacionam a evolução das cidades no seu dia-a-dia e a influência que essas transformações, dos mais diversos aspectos, exerce sobre o patrimônio cultural. Diante desse quadro, como a Educação pode contribuir para o desenvolvimento de uma consciência patrimonial na sociedade.

O tema torna-se crescente na sociedade moderna, na medida em que se deve avaliar o significado do patrimônio cultural diante de desafios, dilemas e mesmo dificuldades trazidas por diversas situações. A vida urbana se transforma, novos significados surgem e o patrimônio cultural e histórico de um lugar ou de um grupo social se insere nesse contexto onde a Educação é um instrumento para que se informe da necessidade de valorizá-lo, explicando sua importância histórica respectiva.

O evento é promovido pelo Departamento de Educação Patrimonial da Secretaria do Patrimônio Histórico da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, com o apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, do Grupo de Estudos em Memória, Museus e Patrimônio - GEMMUS, da UFRGS.

Destinado a representantes de órgãos públicos, pesquisadores, profissionais e estudantes, o encontro visa estimular as discussões que efetivem, na sociedade, a valorização do Patrimônio Cultural como meio sustentável.

O encontro será nos dias 03 e 04 de novembro. A taxa de inscrição, relativa ao Certificado de Extensão, é de R$ 4. As vagas são limitadas e as inscrições podem ser feitas pelo e-mail educacaopatrimonial@sph.ufrgs.br ou pelo telefone (51) 3308 4217.

FONTE: IPHAN.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DE OSCAR NIEMEYER PARA O BRASIL E O MUNDO

Por Alexandre Figueiredo

Oscar Niemeyer, um dos mais renomados arquitetos brasileiros, nos deixou ontem à noite, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, a dez dias de completar 105 anos. Sofria insuficiência respiratória e desde novembro estava muito doente.

Foi uma vida longeva e ativa, em que Oscar, mesmo com a voz mais frágil, expressou sua lucidez nos últimos anos. Era um dos últimos remanescentes de uma produtiva geração de intelectuais que procurou pensar e agir pelo Brasil. Era formado em Arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes, atual Escola de Belas Artes da UFRJ, em 1934.

Era uma época em que a geração modernista já se consolidava como um grupo de intelectuais dedicados ao progresso sócio-cultural do Brasil. Mário de Andrade já atuava em cargos administrativos do governo paulista e depois se tornaria um dos fundadores do IPHAN, então conhecido como SPHAN (Serviço), juntamente com Rodrigo Melo Franco de Andrade.

A fundação do SPHAN, a partir de 1936 mas oficialment…

A CONTRIBUIÇÃO DE DURKHEIM À SOCIOLOGIA

Por Alexandre Figueiredo

A sociologia contemporânea deve seu avanço a Èmile Durkheim, fundador da escola francesa. Reconhecido mundialmente como um dos pensadores do conceito de coerção social, sua sociologia marcou-se pela combinação da sua teoria com a pesquisa empírica.

Èmile Durkheim nasceu em 15 de agosto de 1858, na cidade de Epinal, no noroeste francês, região localizada na fronteira com a Alemanha. Durkheim era de família judaica, mas do contrário que definia a tradição de seus familiares, ele recusou-se a seguir a carreira de rabino.

Não bastasse ele ter vivido numa época de grandes transformações no universo do pensamento mundial - a segunda metade do século XIX, tempo de profundas transformações tecnológicas e culturais na Europa - , ele também viveu em sua juventude as transformações referentes ao país onde nasceu e viveu, a França. Era a época do conflito com o exército alemão, que forçou os franceses a ceder o território da Lorena. Era também o período da Comuna de Paris, e…

FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO VIRA PATRIMÔNIO CULTURAL

Por Alexandre Figueiredo

A Feira de São Cristóvão, tradicional espaço de cultura nordestina na Zona Norte do Rio de Janeiro, é considerada patrimônio cultural. O presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, sancionou a lei, lançada pelo deputado federal Marcelo Itagiba (PSDB-RJ) e aprovado em votações na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

O tombamento veio em bom momento, uma vez que a Feira de São Cristóvão, que desde 2003 ganhou o nome de Centro Cultural Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas e também é conhecido popularmente como Feira dos Nordestinos ou Feira dos Paraíbas, estava ameaçada de ser despejada do Pavilhão de São Cristóvão, que abriga o evento, por causa de uma dívida de R$ 400 mil da Prefeitura do Rio de Janeiro com o Ecad. Com o tombamento, a Riotur não pode mais intervir no despejo da feira.

A feira é composta de aproximadamente 700 barracas relacionadas a diversas modalidades da cultura nordestina, como culinária, artesanato, trios, bandas de forró, dança,…