UNESCO ANALISA CANDIDATURA DO RIO DE JANEIRO PARA PATRIMÔNIO MUNDIAL



Por Alexandre Figueiredo

A três anos da Copa do Mundo do Brasil e a cinco das Olimpíadas, o Rio de Janeiro já conta com um dossiê nas mãos dos analistas do Centro do Patrimônio Mundial da UNESCO, com sede em Paris, desde o final de janeiro último.

Foi decidido que o processo de inclusão da capital fluminense na lista de Patrimônios Mundiais da Humanidade esteja na pauta da 36ª Sessão do Centro do Patrimônio Mundial, que acontecerá em 2012.

A elaboração da proposta foi coordenada pelos técnicos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), com a participação do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (INEPAC), ligado ao Governo do Rio de Janeiro, da Prefeitura do Rio de Janeiro, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e da Fundação Roberto Marinho.

A cidade do Rio de Janeiro, com sua história mundialmente reconhecida, é uma das cidades brasileiras mais famosas do mundo. Seus diversos pontos turísticos são associados à paisagem ambiental, como o Pão de Açúcar, na Urca, e o Cristo Redentor, localizado no Morro do Corcovado. Há também as belas praias de Copacabana, Ipanema e Leblon, além da Floresta da Tijuca, como pontos turísticos que associam ecologia, turismo e lazer.

A UNESCO definiu o conceito de paisagem cultural em 1992, tornando-se um novo tipo de abordagem de bens culturais, de acordo com a Convenção de 1972, realizada em Estocolmo, que instituiu a lista de Patrimônio Mundial.

Atualmente, os sítios que mundialmente são reconhecidos como paisagens culturais estão relacionados às áreas rurais, aos tradicionais sistemas agrícolas, aos jardins históricos e outros locais de cunho simbólico, religioso e afetivo de suas populações.

O reconhecimento do Rio de Janeiro culminará numa visão nova na abordagem das paisagens culturais do planeta. Isso se deve porque a cidade será a primeira paisagem urbana a se inscrever na Lista do Patrimônio Mundial.

O Brasil possui hoje 18 bens culturais na lista de 911 bens reconhecidos pela UNESCO. Os bens naturais são: Parque Nacional do Iguaçu, Paraná (1986); Costa do Descobrimento, Bahia e Espírito Santo (1997); Parque Nacional Serra da Capivara, Piauí (1998); Reserva Mata Atlântica, São Paulo e Paraná (1999); Parque Nacional do Jaú, Amazonas (2000); Pantanal Mato-grossense, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul (2000); Reservas do Cerrado: Parque Nacional dos Veadeiros e das Emas, Goiás (2001); e Parque Nacional de Fernando de Noronha, Pernambuco (2001).

Por sua vez, Já os bens culturais reconhecidos são: Conjunto Arquitetônico e Urbanístico de Ouro Preto, Minas Gerais (1980); Centro Histórico de Olinda, Pernambuco (1982); Ruínas de São Miguel das Missões, Rio Grande do Sul (1983); Santuário do Bom Jesus de Matosinhos em Congonhas, Minas (1985); Centro Histórico de Salvador, Bahia (1985); Conjunto Urbanístico de Brasília, Distrito Federal (1987); Centro Histórico de São Luís, Maranhão (1997); Centro Histórico de Diamantina, Minas (1999); e Centro Histórico de Goiás, Goiás (2001).

Fonte: IPHAN.

Comentários

Marcelo Pereira disse…
O curioso é que será um patrimônio manco, perneta, já que a diversidade de pinturas dos ônibus era um patrimônio que o prefeito teve o "cuidado" de extinguir.

Deveriam ter tombado a diversidade de pinturas dos ônibus do RJ.