Pular para o conteúdo principal

POPULAÇÃO ACOMPANHA RECUPERAÇÃO DE SÃO LUIZ DO PARAITINGA



Por Alexandre Figueiredo

Já foi divulgado o projeto de recuperação da cidade de São Luiz do Paraitinga, localizado no lado paulista do Vale do Paraíba, atividade que conta com a participação de técnicos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). A cidade tinha sido em boa parte destruída por causa das fortes chuvas que alagaram o município, em janeiro deste ano.

No último dia 01º, uma audiência pública foi feita entre os altares da Igreja Matriz que foram resgatados dos escombros, anunciando o plano de reconstrução da mesma igreja, além da Igreja das Mercês, e de recuperação da Igreja do Rosário.

A audiência foi organizada pela Prefeitura de São Luiz do Paraitinga e contou com a participação de representantes do IPHAN, do CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo), da Diocese de Taubaté e da construtora Biapó, responsável pelas obras.

O arquiteto do IPHAN Antônio Gameiro, autor do projeto de reconstrução da Igreja das Mercês, afirma que os bens danificados foram recuperados e serão reaproveitados. "Tudo o que ruiu está lá. Foi recuperado, limpo e tratado. Tudo será reaproveitado para poder voltar ao seu lugar", diz.

As obras de reconstrução da Igreja da Matriz tem o projeto elaborado pelos técnicos da Diocese de Taubaté, e serão financiadas pelo governo do Estado de São Paulo. A capela das Mercês, por sua vez, tem sua reconstrução elaborada pelo IPHAN, que também realizará os trabalhos.

A Igreja do Rosário, que não foi seriamente destruída pela enchente, já passa por obras de emergência, num esforço de cronograma que permita que a igreja esteja pronta para receber o público já no período de Natal. Obras de recuperação do telhado e outras intervenções em sua estrutura são financiadas pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), em parceria com o IPHAN e o Instituto Elpídio dos Santos. O IPHAN também pretende restaurar as pinturas nas partes externa e interna da Igreja do Rosário.

O IPHAN montou estruturas de proteção das ruínas das igrejas da Matriz e das Mercês que recompõem o volume dos bens que foram danificados pelas chuvas. As coberturas garantirão a proteção durante os trabalhos de reconstrução, e permitirão também a restituição da paisagem urbana na área. No local, um canteiro localizado na Igreja da Matriz será aberto para visitas monitoradas, para ver todas as peças que foram resgatadas dos escombros.

Para a capela de Nossa Senhora das Mercês, o projeto de reconstrução elaborado por Antônio Gameiro se baseou em extensa documentação gráfica, fotográfica e audiovisual, há muito tempo produzida pelo IPHAN. A pesquisa de plantas, cortes e estudos sobre a igreja servirão para orientar os procedimentos de reconstrução da capela, respeitando os aspectos arquitetônicos originais.

A igreja foi a primeira construída em São Luiz do Paraitinga, na última década do século XVIII, quando a cidade passava por uma série de transformações de ordem econômica e social, mudanças que eram lentas e graduais, mas contínuas.

Os projetos de reconstrução das igrejas estão em fase final de elaboração e perto de serem aprovadas, havendo a expectativa de que as obras tenham início ainda neste ano. As obras de reconstrução da Igreja da Matriz estão previstas para durarem dois anos e a reconstrução da capela das Mercês está prevista para terminar no final do próximo ano.

FONTE: IPHAN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DE OSCAR NIEMEYER PARA O BRASIL E O MUNDO

Por Alexandre Figueiredo

Oscar Niemeyer, um dos mais renomados arquitetos brasileiros, nos deixou ontem à noite, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, a dez dias de completar 105 anos. Sofria insuficiência respiratória e desde novembro estava muito doente.

Foi uma vida longeva e ativa, em que Oscar, mesmo com a voz mais frágil, expressou sua lucidez nos últimos anos. Era um dos últimos remanescentes de uma produtiva geração de intelectuais que procurou pensar e agir pelo Brasil. Era formado em Arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes, atual Escola de Belas Artes da UFRJ, em 1934.

Era uma época em que a geração modernista já se consolidava como um grupo de intelectuais dedicados ao progresso sócio-cultural do Brasil. Mário de Andrade já atuava em cargos administrativos do governo paulista e depois se tornaria um dos fundadores do IPHAN, então conhecido como SPHAN (Serviço), juntamente com Rodrigo Melo Franco de Andrade.

A fundação do SPHAN, a partir de 1936 mas oficialment…

A CONTRIBUIÇÃO DE DURKHEIM À SOCIOLOGIA

Por Alexandre Figueiredo

A sociologia contemporânea deve seu avanço a Èmile Durkheim, fundador da escola francesa. Reconhecido mundialmente como um dos pensadores do conceito de coerção social, sua sociologia marcou-se pela combinação da sua teoria com a pesquisa empírica.

Èmile Durkheim nasceu em 15 de agosto de 1858, na cidade de Epinal, no noroeste francês, região localizada na fronteira com a Alemanha. Durkheim era de família judaica, mas do contrário que definia a tradição de seus familiares, ele recusou-se a seguir a carreira de rabino.

Não bastasse ele ter vivido numa época de grandes transformações no universo do pensamento mundial - a segunda metade do século XIX, tempo de profundas transformações tecnológicas e culturais na Europa - , ele também viveu em sua juventude as transformações referentes ao país onde nasceu e viveu, a França. Era a época do conflito com o exército alemão, que forçou os franceses a ceder o território da Lorena. Era também o período da Comuna de Paris, e…

FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO VIRA PATRIMÔNIO CULTURAL

Por Alexandre Figueiredo

A Feira de São Cristóvão, tradicional espaço de cultura nordestina na Zona Norte do Rio de Janeiro, é considerada patrimônio cultural. O presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, sancionou a lei, lançada pelo deputado federal Marcelo Itagiba (PSDB-RJ) e aprovado em votações na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

O tombamento veio em bom momento, uma vez que a Feira de São Cristóvão, que desde 2003 ganhou o nome de Centro Cultural Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas e também é conhecido popularmente como Feira dos Nordestinos ou Feira dos Paraíbas, estava ameaçada de ser despejada do Pavilhão de São Cristóvão, que abriga o evento, por causa de uma dívida de R$ 400 mil da Prefeitura do Rio de Janeiro com o Ecad. Com o tombamento, a Riotur não pode mais intervir no despejo da feira.

A feira é composta de aproximadamente 700 barracas relacionadas a diversas modalidades da cultura nordestina, como culinária, artesanato, trios, bandas de forró, dança,…