Pular para o conteúdo principal

MERCOSUL DEFINE POLÍTICA INTEGRADA DE PATRIMÔNIO


PONTE JAGUARÃO-RIO BRANCO, NA FRONTEIRA ENTRE O BRASIL E URUGUAI, SERÁ UM DOS LOCAIS ESTUDADOS PARA POLÍTICAS INTEGRADAS

Por Alexandre Figueiredo

Realizada no mês passado, a III Reunião da Comissão de Patrimônio Cultural do Mercosul, estabeleceu uma política integrada dos países-membros para preservação e proteção de seus respectivos patrimÔnios culturais. Ocorrida em Buenos Aires, o encontro, além da Argentina, envolve também Bolívia, Brasil, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

Segundo o secretário de cultura da Argentina, Alberto Petrina, a reunião tem uma importância estratégica para acelerar os processos de integração regional, com diretrizes que permitam a proteção dos patrimônios culturais de seus países. Uma das decisões estabelecidas no evento está na indicação, por cada país, de um representante a fazer parte dos núcleos focais da Comissão de Patrimônio Cultural.

A reunião decidiu também que será realizado no Brasil um seminário que discutirá as políticas de desenvolvimento de itinerários culturais, seja nas regiões ou cidades, como forma de valorizar os patrimônios culturais como um todo, como uma expressão geral de uma localidade. Em parte, o assunto ganhou um adiantamento referente à III Reunião, quando foi retomado o Projeto de Itinerário Cultural da Região das Missões Jesuíticas Guaranis. O assunto foi retomado no último dia 21, às vésperas do encontro da Comissão, para assim apresentar na reunião os encaminhamentos dados, reconsiderando a participação da Bolívia no projeto.

Também foi decidido que será realizada uma reunião técnica na Bolívia, ainda neste ano, de forma que os resultados a serem obtidos sejam apresentados em conjunto na próxima reunião do Mercosul, a que será realizada no Brasil. Em relação ao Universo Cultural Guarani, a Comissão de Patrimônio Cultural do Mercosul decidiu apoiar os acordos feitos, dentro dos critérios estabelecidos pelo CRESPIAL (Centro Regional para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da América Latina), definindo juntamente com os representantes de cada país a instituição e o responsável pelo projeto.

Quanto ao tráfico ilegal de bens culturais, um dos maiores desafios das políticas patrimoniais, o encontro apoiou as recomendações acertadas durante o encontro regional sobre medidas jurídicas e administrativas a serem feitas para a prevenção do tráfico na América Latina. Para isso, o encontro definiu pelo desenvolvimento de uma rede internacional de informação técnica para o combate e a prevenção do tráfico ilegal dos bens culturais. Cada país do Mercosul produzirá seu respectivo informe sobre o assunto, para que possa, na reunião de junho de 2011, propor medidas conjuntas e planos de trabalho voltados para a capacitação do setor. Esse projeto de trabalho poderá ser implementado pelo Centro Regional de Formação para Gestão do Patrimônio, no Rio de Janeiro.

Na reunião, os países do Mercosul decidiram também pelo desenvolvimento de um estudo envolvendo Brasil e Uruguai, dedicado ao entorno da Ponte Internacional Jaguarão e Rio Branco e suas respectivas localidades em ligação, servindo de ponto de partida para o reconhecimento dos bens culturais, podendo representar um importante avanço para os processos de integração regional para a preservação do patrimônio cultural da humanidade.

FONTE: IPHAN.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COMUNIDADES INDÍGENAS DO ALTO-XINGU SÃO PATRIMÔNIO CULTURAL

Por Alexandre Figueiredo

As duas localidades situados no Mato Grosso que são considerados pelas tribos indígenas do Alto-Xingu como lugares sagrados tornaram-se patrimônio cultural por iniciativa do IPHAN.

O Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional aprovou há cinco dias, por unanimidade, o pedido de tombamento das localidades de Sagihengu e Kamukuwaká, feito por iniciativa das etnias Waurá, Kalapalo e Kamayurá e reforçado pelos técnicos do IPHAN.

Sagihengu e Kamukuwaká são lugares que fazem parte do Kwarup, a maior festa ritualística realizada pelos povos do Alto-Xingu. Nove etnias que formam seu complexo sócio-cultural participam, de forma compartilhada, dos rituais. Todavia, as duas áreas ainda estão fora do território demarcado pelo Governo do Parque Nacional do Xingu.

Observando essa limitação, os grupos indígenas formularam, em 2008, um pedido para o IPHAN de transformação da área em patrimônio cultural, garantindo a conservação e também o acesso …

A IMPORTÂNCIA DE OSCAR NIEMEYER PARA O BRASIL E O MUNDO

Por Alexandre Figueiredo

Oscar Niemeyer, um dos mais renomados arquitetos brasileiros, nos deixou ontem à noite, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, a dez dias de completar 105 anos. Sofria insuficiência respiratória e desde novembro estava muito doente.

Foi uma vida longeva e ativa, em que Oscar, mesmo com a voz mais frágil, expressou sua lucidez nos últimos anos. Era um dos últimos remanescentes de uma produtiva geração de intelectuais que procurou pensar e agir pelo Brasil. Era formado em Arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes, atual Escola de Belas Artes da UFRJ, em 1934.

Era uma época em que a geração modernista já se consolidava como um grupo de intelectuais dedicados ao progresso sócio-cultural do Brasil. Mário de Andrade já atuava em cargos administrativos do governo paulista e depois se tornaria um dos fundadores do IPHAN, então conhecido como SPHAN (Serviço), juntamente com Rodrigo Melo Franco de Andrade.

A fundação do SPHAN, a partir de 1936 mas oficialment…

PÓS-GRADUAÇÃO PAGA AGRAVARÁ GRANDES BARREIRAS PARA O CONHECIMENTO

Por Alexandre Figueiredo

Foi aprovada anteontem, na plenária da Câmara dos Deputados, a proposta que permite a cobrança de mensalidades em cursos de pós-graduação nas universidades públicas. A Proposta de Emenda Constitucional, cujo autor do texto original é o deputado Alex Canziani (PTB-PR) e com texto substitutivo do colega Cleber Verde (PRB-MA), ainda depende da votação no Senado para aprovação definitiva.

O projeto propõe que cursos universitários de pós-graduação lato sensu (especialização), assim como os de Mestrado profissional e extensão, cobrem taxas de mensalidades de seus alunos. Segundo seus defensores, a medida visa melhorar a arrecadação de recursos das instituições de ensino superior.

A proposta de pós-graduação paga, que contou com a oposição de partidos como PSOL, PC do B e o recém-criado REDE (Rede Sustentabilidade, de Marina Silva), embora o Partido dos Trabalhadores tenha deixado a questão facultativa (os petistas poderiam votar contra ou a favor, se quiserem), no…