Pular para o conteúdo principal

CIDADES HISTÓRICAS GANHARÃO CINECLUBES



Por Alexandre Figueiredo

A Secretaria de Audiovisual do Ministério da Cultura (SAv/MinC) e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, através do programa Mais Cultura (que, para o setor, é conhecido como Cine Mais Cultura), investirão em novos cineclubes nas cidades históricas localizadas em todo o Brasil. A parceria, assinada em dezembro do ano passado, prevê que, na primeira fase de implantação, 28 cidades históricas sejam beneficiadas com novos cinemas.

O objetivo do projeto é divulgar o cinema brasileiro para um público com pouco acesso a suas obras. Além disso, atingirá diversas cidades brasileiras, incluindo as cidades interioranas onde não contam com salas de cinema como em Pernambuco, Santa Catarina, Fernando de Noronha, Mato Grosso do Sul e outros Estados.

As exibições, em salas a serem dotadas de aparelhamento digital, serão semanais e no próximo mês começam os primeiros eventos neste sentido, com entrada gratuita. Depois dos filmes, estão previstos debates para reflexão sobre os temas apresentados, além de outras atividades relacionadas. Os debates visam estimular as discussões por parte das populações locais.

As salas de exibição serão instaladas nos espaços administrados pelo IPHAN ou pelas prefeituras, pelas secretarias de cultura locais ou por instituições da sociedade civil que estabeleçam parceria com o IPHAN. O projeto terá acompanhamento da Secretaria do Audiovisual, responsável pelo fornecimento dos equipamentos e dos filmes da Programadora Brasil, que possui um expressivo catálogo de filmes brasileiros.

A iniciativa do projeto Cine Mais Cultura pretende democratizar o acesso do público à cinematografia brasileira, cujo mercado é prejudicado pela predominância dos filmes produzidos pelo circuito comercial dos EUA. Junto a esta finalidade de estimular as plateias para o cinema nacional, o Cine Mais Cultura visa também apoiar a difusão da produção audiovisual brasileira através da exibição de filmes fora do circuito comercial. A prioridade da ação é atender as localidades rurais e urbanas desprovidas de salas de cinema, localizadas em diversas cidades ou regiões metropolitanas e nas periferias dos grandes centros urbanos. No Brasil, a concentração de cinemas comerciais, no âmbito geral, envolve apenas 8% do território nacional.

Oficinas de capacitação cineclubista também serão realizadas, tendo a finalidade de qualificar as pessoas que irão lidar com a realização de programação, com a divulgação e com a mediação dos debates das sessões. Outra meta prevista é o estímulo aos responsáveis pelos cinemas envolvidos a promover o diálogo com a comunidade local, procurando incentivá-la para a participação efetiva nas atividades.

O desenvolvimento do trabalho conta com apoio de um manual produzido pelo projeto, através de parceria feita com o Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros (CNC).

AS PRIMEIRAS 28 CIDADES BENEFICIADAS

Alagoas
Marechal Deodoro :: Casa do Patrimônio Iphan (antiga Casa de Câmara e Cadeia). Rua Dr. Tavares Bastos, s/n, centro.

Amapá
Macapá :: Museu Fortaleza de São José de Macapá. Rua Cândido Mendes.

Ceará
Aracati :: Cine Teatro Municipal. Rua Coronel Alexanzito, 697, centro.
Icó :: Teatro da Ribeira dos Icós. Largo do Théberge, s/n, centro.
Sobral :: Sala Falb Rangel – Sec. da Cultura e Turismo. Av. Dom José, 881, centro.

Goiás
Corumbá de Goiás :: Cine Teatro Esmeralda. Praça da Matriz, s/n.
Goiás :: Prédio da Sociedade Santa Cecília. Rua Maximiano Mendes, 12, centro.
Pirenópolis:: Cine Pireneus. Rua Direita, 05, centro.

Maranhão
Alcântara :: Cineclube Tororó. Rua da Independência, s/n.

Minas Gerais
Diamantina :: Casa de Chica da Silva. Escritório Técnico do Iphan. Praça Lobo de Mesquita, 266, centro.

Mato Grosso do Sul
Corumbá :: Escritório Técnico do Iphan. Rua Manoel Cavassa, s/n, Porto Geral, Beira Rio.

Pernambuco
Fernando de Noronha :: Largo da Igreja de N. S. dos Remédios.
Goiana :: Cine Teatro Polyteama. Av. Marechal Deodoro da Fonseca, s/n, centro.

Piauí
Amarante :: Centro Cultural de Amarante Casa Odilon Nunes. Praça Rio Nunes, Conjunto Redenção, Quadra. D, s/nº.
Oeiras :: Cine Teatro Oeiras. Praça das Vitórias, s/n, centro.
Parnaíba :: Cooperativa Educacional Logos – COOPEL. Rua Florindo de Castro, 460, centro.
Pedro II :: Memorial Tertuliano Brandão Filho, R. Tertuliano Filho R. Vasco da Gama, 236, centro

Rio de Janeiro
São Pedro da Aldeia :: Teatro Municipal Dr. Átila Costa. Rua Francisco Santos s/n, centro.

Rio Grande do Sul
Antônio Prado :: Centro Cultural Padre Schio – Prefeitura Municipal de Antônio Prado. Rua Laurindo Zanotto, 158.
Jaguarão :: Prefeitura Municipal de Jaguarão – Secretaria de Cultura e Turismo. Praça Alcides Marques, 89.
Piratini :: Prefeitura Municipal de Piratini. Rua Comendador Freitas, 255.
São Miguel das Missões :: Escritório Técnico do Iphan em São Miguel das Missões. Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo.
São Nicolau :: Paróquia São Nicolau das Missões. Rua Profa Nilza de Moura e Silva, 1411.

Santa Catarina
Itaiópolis :: Espaço Hugo Dylla. Rua Alfredo Schneider, s/nº, Alto Paraguaçu.
Laguna :: Casa do Patrimônio Iphan. Praça Vidal Ramos, 118, centro.
São Francisco do Sul :: Museu Nacional do Mar. Manoel Lourenço de Andrade, 133, centro.

Sergipe
Laranjeiras :: Antigo Fórum Levindo Cruz. Rua José do Prado Franco, s/n, centro.

Tocantins
Natividade :: Secretaria de Cultura de Natividade. Praça da Matriz, 10, centro.

FONTES: IPHAN, MinC.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DE OSCAR NIEMEYER PARA O BRASIL E O MUNDO

Por Alexandre Figueiredo

Oscar Niemeyer, um dos mais renomados arquitetos brasileiros, nos deixou ontem à noite, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, a dez dias de completar 105 anos. Sofria insuficiência respiratória e desde novembro estava muito doente.

Foi uma vida longeva e ativa, em que Oscar, mesmo com a voz mais frágil, expressou sua lucidez nos últimos anos. Era um dos últimos remanescentes de uma produtiva geração de intelectuais que procurou pensar e agir pelo Brasil. Era formado em Arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes, atual Escola de Belas Artes da UFRJ, em 1934.

Era uma época em que a geração modernista já se consolidava como um grupo de intelectuais dedicados ao progresso sócio-cultural do Brasil. Mário de Andrade já atuava em cargos administrativos do governo paulista e depois se tornaria um dos fundadores do IPHAN, então conhecido como SPHAN (Serviço), juntamente com Rodrigo Melo Franco de Andrade.

A fundação do SPHAN, a partir de 1936 mas oficialment…

A CONTRIBUIÇÃO DE DURKHEIM À SOCIOLOGIA

Por Alexandre Figueiredo

A sociologia contemporânea deve seu avanço a Èmile Durkheim, fundador da escola francesa. Reconhecido mundialmente como um dos pensadores do conceito de coerção social, sua sociologia marcou-se pela combinação da sua teoria com a pesquisa empírica.

Èmile Durkheim nasceu em 15 de agosto de 1858, na cidade de Epinal, no noroeste francês, região localizada na fronteira com a Alemanha. Durkheim era de família judaica, mas do contrário que definia a tradição de seus familiares, ele recusou-se a seguir a carreira de rabino.

Não bastasse ele ter vivido numa época de grandes transformações no universo do pensamento mundial - a segunda metade do século XIX, tempo de profundas transformações tecnológicas e culturais na Europa - , ele também viveu em sua juventude as transformações referentes ao país onde nasceu e viveu, a França. Era a época do conflito com o exército alemão, que forçou os franceses a ceder o território da Lorena. Era também o período da Comuna de Paris, e…

FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO VIRA PATRIMÔNIO CULTURAL

Por Alexandre Figueiredo

A Feira de São Cristóvão, tradicional espaço de cultura nordestina na Zona Norte do Rio de Janeiro, é considerada patrimônio cultural. O presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, sancionou a lei, lançada pelo deputado federal Marcelo Itagiba (PSDB-RJ) e aprovado em votações na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

O tombamento veio em bom momento, uma vez que a Feira de São Cristóvão, que desde 2003 ganhou o nome de Centro Cultural Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas e também é conhecido popularmente como Feira dos Nordestinos ou Feira dos Paraíbas, estava ameaçada de ser despejada do Pavilhão de São Cristóvão, que abriga o evento, por causa de uma dívida de R$ 400 mil da Prefeitura do Rio de Janeiro com o Ecad. Com o tombamento, a Riotur não pode mais intervir no despejo da feira.

A feira é composta de aproximadamente 700 barracas relacionadas a diversas modalidades da cultura nordestina, como culinária, artesanato, trios, bandas de forró, dança,…