Pular para o conteúdo principal

FOTOS DA EXPOSIÇÃO DE ARTE RECICLÁVEL EM NITERÓI



Por Alexandre Figueiredo

No começo de maio, aconteceu na Galeria de Arte La Salle, no campus da Universidade La Salle localizado na rua Gastão Gonçalves, 79, em Santa Rosa, na proximidade do Largo do Marrão, em Niterói, uma exposição de obras de arte feitas com material reciclável. As fotos desta postagem foram tiradas por mim.

São obras feitas com garrafas pet, discos de vinil, papelão, madeira e outros materiais que foram inutilizados, e que se tornaram matérias-primas para tais produções. A exposição contou com trabalhos de 13 artistas plásticos, de Niterói, São Gonçalo, Cabo Frio e Campos.


Destes 13 artistas, dez são independentes e três ligados a associações, todos envolvidos com o tema "Arte e Sustentabilidade", que, além de divulgar os talentos dos artistas e promover uma interação com o público, dão uma ideia de como se pode reaproveitar material obsoleto.

São caixas, bonecas, utensílios e móveis, e até mesmo violão, ou quadros e objetos decorativos que serviriam para enfeitar a sala de estar. A arte também mostra uma função educativa de que se deve reciclar o material inutilizado para outros fins, evitando a degradação ambiental.


ARTISTA PLÁSTICO MANTÉM BIBLIOTECA GRATUITA AO AR LIVRE

Um dos destaques da exposição são as obras do artista plástico e estofador Marcos Vinícius, cuja consciência ecológica se estende também por um trabalho realizado nas manhãs de sábados e domingos no Campo de São Bento, um dos principais pontos de Niterói situado próximo à Av. Roberto Silveira, em Icaraí.

Esse trabalho é uma biblioteca ao ar livre, em que qualquer um que passe por perto pode deixar um livro ou pegar o que se encontra numa pequena estante e sobre algumas caixas. Revistas também seguem o mesmo esquema de disponibilidade e doação.


Marcos, na exposição, aparece com diversos quadros e móveis, como as duas imagens acima, com uma cadeira decorada com pintura de calçadão de praia e uma moldura com antigos discos de vinil, além de peças como uma guitarra transformada em objeto decorativo, entre tantas outras.

Ele mantém a biblioteca desde setembro de 2013 e o próprio lema "Leve o que quiser. Traga quando puder" dá uma boa ideia desse espírito de reaproveitamento de material inutilizado pelo mercado, já que o intercâmbio de livros usados é uma maneira sustentável de valorizar esse material.

Graças à sua iniciativa, houve caso de um antigo funcionário de uma companhia em São Paulo que se comoveu ao ver três volumes do raríssimo livro São Paulo - Cidade da Light, e decidiu levar a coleção, prometendo doar alguns livros antigos.

Por alguma coincidência, o senhor trouxe um livro de Hermógenes que Marcos Vinícius estava procurando para presentear à sua filha adolescente. Marcos não havia feito qualquer pedido a respeito para o senhor, mas a coincidência fez com que a procura fosse enfim realizada.

Experiências assim ensinam que, por trás da reciclagem de materiais, também podem haver a reciclagem de relações humanas, através das relembranças e do reaproveitamento que aproximam passado, presente e futuro, transformando matérias em fatores de integração social.

FONTES: O São Gonçalo, O Kylocyclo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DE OSCAR NIEMEYER PARA O BRASIL E O MUNDO

Por Alexandre Figueiredo

Oscar Niemeyer, um dos mais renomados arquitetos brasileiros, nos deixou ontem à noite, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, a dez dias de completar 105 anos. Sofria insuficiência respiratória e desde novembro estava muito doente.

Foi uma vida longeva e ativa, em que Oscar, mesmo com a voz mais frágil, expressou sua lucidez nos últimos anos. Era um dos últimos remanescentes de uma produtiva geração de intelectuais que procurou pensar e agir pelo Brasil. Era formado em Arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes, atual Escola de Belas Artes da UFRJ, em 1934.

Era uma época em que a geração modernista já se consolidava como um grupo de intelectuais dedicados ao progresso sócio-cultural do Brasil. Mário de Andrade já atuava em cargos administrativos do governo paulista e depois se tornaria um dos fundadores do IPHAN, então conhecido como SPHAN (Serviço), juntamente com Rodrigo Melo Franco de Andrade.

A fundação do SPHAN, a partir de 1936 mas oficialment…

A CONTRIBUIÇÃO DE DURKHEIM À SOCIOLOGIA

Por Alexandre Figueiredo

A sociologia contemporânea deve seu avanço a Èmile Durkheim, fundador da escola francesa. Reconhecido mundialmente como um dos pensadores do conceito de coerção social, sua sociologia marcou-se pela combinação da sua teoria com a pesquisa empírica.

Èmile Durkheim nasceu em 15 de agosto de 1858, na cidade de Epinal, no noroeste francês, região localizada na fronteira com a Alemanha. Durkheim era de família judaica, mas do contrário que definia a tradição de seus familiares, ele recusou-se a seguir a carreira de rabino.

Não bastasse ele ter vivido numa época de grandes transformações no universo do pensamento mundial - a segunda metade do século XIX, tempo de profundas transformações tecnológicas e culturais na Europa - , ele também viveu em sua juventude as transformações referentes ao país onde nasceu e viveu, a França. Era a época do conflito com o exército alemão, que forçou os franceses a ceder o território da Lorena. Era também o período da Comuna de Paris, e…

FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO VIRA PATRIMÔNIO CULTURAL

Por Alexandre Figueiredo

A Feira de São Cristóvão, tradicional espaço de cultura nordestina na Zona Norte do Rio de Janeiro, é considerada patrimônio cultural. O presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, sancionou a lei, lançada pelo deputado federal Marcelo Itagiba (PSDB-RJ) e aprovado em votações na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

O tombamento veio em bom momento, uma vez que a Feira de São Cristóvão, que desde 2003 ganhou o nome de Centro Cultural Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas e também é conhecido popularmente como Feira dos Nordestinos ou Feira dos Paraíbas, estava ameaçada de ser despejada do Pavilhão de São Cristóvão, que abriga o evento, por causa de uma dívida de R$ 400 mil da Prefeitura do Rio de Janeiro com o Ecad. Com o tombamento, a Riotur não pode mais intervir no despejo da feira.

A feira é composta de aproximadamente 700 barracas relacionadas a diversas modalidades da cultura nordestina, como culinária, artesanato, trios, bandas de forró, dança,…