Pular para o conteúdo principal

MARACATU PODE SE TORNAR PATRIMÔNIO CULTURAL BRASILEIRO



Por Alexandre Figueiredo

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional está analisando o inventário recebido há duas semanas pela presidenta Jurema Machado das mãos do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que contém os dossiês sobre as diversas manifestações ligadas ao maracatu, ritmo popular tradicional no Estado.

O inventário foi entregue no último dia 13, durante a abertura da VI Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco, na sala de eventos do Palácio Provisório em Recife, que inaugurou um conjunto de eventos que incluiu debates, apresentações musicais, exposições, dança e visitas a museus e edifícios históricos.

Na semana, um dia antes da entrega do inventário, havia acontecido o seminário Patrimônio Cultural e Políticas Públicas: (Des) envolvimento e desafios, que discutiu as políticas de preservação cultural em Pernambuco, como as iniciativas do Estado, o acesso às fontes de cultura, novas tecnologias e gestões, educação patrimonial e paisagens culturais.

As expressões do maracatu, do cavalo-marinho e do caboclinho, que se manifestam no Carnaval mas se estendem também em qualquer período do ano, estão sendo apreciados por técnicos do Conselho Consultivo do IPHAN.

Conforme afirmou a diretora do setor de Preservação Cultural da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), Célia Campos, os bens que integram o inventário poderão fazer parte do Programa Nacional do Patrimônio Imaterial, que beneficiarão o patrimônio através de políticas de investimentos, divulgação, gestão e preservação.

A Fundarpe é uma instituição estadual ligada ao patrimônio cultural de Pernambuco e promoveu a VI Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco junto ao IPHAN. O maracatu é considerado cartão postal para o turismo no Estado e, com a concessão do título de Patrimônio Cultural pelo IPHAN, será beneficiado por políticas federais para valorização, apoio e fomento dessas manifestações.

O inventário foi encaminhado para Brasília. Ainda não há um prazo para a conclusão dos trabalhos, mas, assim que eles forem encerrados, será divulgada a data em que os bens terão parecer definitivo dos técnicos do Conselho Consultivo do IPHAN.

“Acreditamos que esses bens culturais possuem boas chances de ganhar o título, visto que o processo de inventário contou com a participação dos detentores (mestres, integrantes, comunidade e entidades representativas), das pessoas que fazem e vivem essas formas de expressão. Além disso, os técnicos da superintendência do Iphan acompa­nharam o processo, contribuin­do para a produção de produtos qualitativos”, disse Célia, otimista com as chances de aprovação dos bens envolvidos.

Jurema Machado, por sua vez, afirma: “Pernambuco vive um momento de cuidado com sua cultura. Tornar-se patrimônio cultural do Brasil não se limita a ter uma festa. É preciso que essa manifestação seja acompanhada por um trabalho de documentação, ao lado dos mestres, que é o que vemos sendo feito em Pernambuco com muito critério”.

FONTES: IPHAN, Folha de Pernambuco.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DE OSCAR NIEMEYER PARA O BRASIL E O MUNDO

Por Alexandre Figueiredo

Oscar Niemeyer, um dos mais renomados arquitetos brasileiros, nos deixou ontem à noite, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, a dez dias de completar 105 anos. Sofria insuficiência respiratória e desde novembro estava muito doente.

Foi uma vida longeva e ativa, em que Oscar, mesmo com a voz mais frágil, expressou sua lucidez nos últimos anos. Era um dos últimos remanescentes de uma produtiva geração de intelectuais que procurou pensar e agir pelo Brasil. Era formado em Arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes, atual Escola de Belas Artes da UFRJ, em 1934.

Era uma época em que a geração modernista já se consolidava como um grupo de intelectuais dedicados ao progresso sócio-cultural do Brasil. Mário de Andrade já atuava em cargos administrativos do governo paulista e depois se tornaria um dos fundadores do IPHAN, então conhecido como SPHAN (Serviço), juntamente com Rodrigo Melo Franco de Andrade.

A fundação do SPHAN, a partir de 1936 mas oficialment…

A CONTRIBUIÇÃO DE DURKHEIM À SOCIOLOGIA

Por Alexandre Figueiredo

A sociologia contemporânea deve seu avanço a Èmile Durkheim, fundador da escola francesa. Reconhecido mundialmente como um dos pensadores do conceito de coerção social, sua sociologia marcou-se pela combinação da sua teoria com a pesquisa empírica.

Èmile Durkheim nasceu em 15 de agosto de 1858, na cidade de Epinal, no noroeste francês, região localizada na fronteira com a Alemanha. Durkheim era de família judaica, mas do contrário que definia a tradição de seus familiares, ele recusou-se a seguir a carreira de rabino.

Não bastasse ele ter vivido numa época de grandes transformações no universo do pensamento mundial - a segunda metade do século XIX, tempo de profundas transformações tecnológicas e culturais na Europa - , ele também viveu em sua juventude as transformações referentes ao país onde nasceu e viveu, a França. Era a época do conflito com o exército alemão, que forçou os franceses a ceder o território da Lorena. Era também o período da Comuna de Paris, e…

FEIRA DE SÃO CRISTÓVÃO VIRA PATRIMÔNIO CULTURAL

Por Alexandre Figueiredo

A Feira de São Cristóvão, tradicional espaço de cultura nordestina na Zona Norte do Rio de Janeiro, é considerada patrimônio cultural. O presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, sancionou a lei, lançada pelo deputado federal Marcelo Itagiba (PSDB-RJ) e aprovado em votações na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

O tombamento veio em bom momento, uma vez que a Feira de São Cristóvão, que desde 2003 ganhou o nome de Centro Cultural Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas e também é conhecido popularmente como Feira dos Nordestinos ou Feira dos Paraíbas, estava ameaçada de ser despejada do Pavilhão de São Cristóvão, que abriga o evento, por causa de uma dívida de R$ 400 mil da Prefeitura do Rio de Janeiro com o Ecad. Com o tombamento, a Riotur não pode mais intervir no despejo da feira.

A feira é composta de aproximadamente 700 barracas relacionadas a diversas modalidades da cultura nordestina, como culinária, artesanato, trios, bandas de forró, dança,…