Pular para o conteúdo principal

TÉCNICOS AVALIAM SITUAÇÃO DE BRASÍLIA



Por Alexandre Figueiredo

Às vésperas de completar 52 anos, que será daqui a um mês, Brasília se encontra numa situação delicada. Seu crescimento complexo, que em muitos aspectos não condiz com seu projeto urbanístico original, pode fazer a cidade perder o título de Patrimônio Histórico da Humanidade pela UNESCO.

Para avaliar o problema, técnicos da UNESCO visitaram a capital do Brasil nos últimos dias de 12 a 15 da semana passada. Os especialistas em arquitetura e urbanismo, o argentino Luiz Maria Calvo e o espanhol Carlos Sambricio realizaram a visita, em companhia do presidente do IPHAN, Luiz Fernando de Almeida.

Almeida, por sua vez, reconhece a complexidade da capital, e por isso a gestão do patrimônio cultural na cidade exigem a busca constante de valores que reafirmem seus valores. Esses instrumentos, no entanto, exigem a possibilidade de enfrentar o problema com políticas de ação que priorizem objetivos estratégicos, não se limitando às ações de cunho estético.

O presidente do IPHAN acrescentou, também, que Brasília, diferente de outras cidades históricas, possui uma dimensão do seu patrimônio relacionada ao desenvolvimento da cidade. Ou seja, seu caráter patrimonial é fortemente influenciado pelo caráter de modernidade da capital, pelo seu contexto futurista que a acompanhava desde sua fundação, em 1960, com a conclusão das obras que já desenhavam uma vida social já na segunda metade dos anos 50.

Como toda grande cidade, Brasília sofreu um crescimento desordenado e confuso. O trânsito tornou-se caótico. O sistema de transportes sofre com irregularidades. A cidade, considerada uma síntese das várias regiões do país, na medida em que é o seu centro político, além de ser também um dos pólos do serviço público nacional.

A visita tem caráter consultivo, não cabendo à UNESCO qualquer decisão sobre quais medidas deverão ser tomadas para evitar a perda do título de patrimônio mundial da capital do país. A missão foi solicitada pela Comissão de Patrimônio Mundial, em reunião realizada em Paris, em junho do ano passado. Os técnicos, todavia, irão produzir um relatório sobre a situação de Brasília, que será concluído em abril.

No relatório, serão avaliados, entre outras coisas, aspectos institucionais, a legislação urbanística e de preservação e as intervenções urbanísticas realizadas na cidade, e como elas afetam o espaço físico e social da cidade.

Com a divulgação do relatório, o IPHAN espera ter em mãos um documento que traga diretrizes sobre o que deve ser feito para que seja garantida a permanência da condição de patrimônio mundial de Brasília. A cidade é considerada patrimônio mundial desde 1987.

Fontes: IPHAN, Jornal Nacional (Rede Globo).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COMUNIDADES INDÍGENAS DO ALTO-XINGU SÃO PATRIMÔNIO CULTURAL

Por Alexandre Figueiredo

As duas localidades situados no Mato Grosso que são considerados pelas tribos indígenas do Alto-Xingu como lugares sagrados tornaram-se patrimônio cultural por iniciativa do IPHAN.

O Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional aprovou há cinco dias, por unanimidade, o pedido de tombamento das localidades de Sagihengu e Kamukuwaká, feito por iniciativa das etnias Waurá, Kalapalo e Kamayurá e reforçado pelos técnicos do IPHAN.

Sagihengu e Kamukuwaká são lugares que fazem parte do Kwarup, a maior festa ritualística realizada pelos povos do Alto-Xingu. Nove etnias que formam seu complexo sócio-cultural participam, de forma compartilhada, dos rituais. Todavia, as duas áreas ainda estão fora do território demarcado pelo Governo do Parque Nacional do Xingu.

Observando essa limitação, os grupos indígenas formularam, em 2008, um pedido para o IPHAN de transformação da área em patrimônio cultural, garantindo a conservação e também o acesso …

A IMPORTÂNCIA DE OSCAR NIEMEYER PARA O BRASIL E O MUNDO

Por Alexandre Figueiredo

Oscar Niemeyer, um dos mais renomados arquitetos brasileiros, nos deixou ontem à noite, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, a dez dias de completar 105 anos. Sofria insuficiência respiratória e desde novembro estava muito doente.

Foi uma vida longeva e ativa, em que Oscar, mesmo com a voz mais frágil, expressou sua lucidez nos últimos anos. Era um dos últimos remanescentes de uma produtiva geração de intelectuais que procurou pensar e agir pelo Brasil. Era formado em Arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes, atual Escola de Belas Artes da UFRJ, em 1934.

Era uma época em que a geração modernista já se consolidava como um grupo de intelectuais dedicados ao progresso sócio-cultural do Brasil. Mário de Andrade já atuava em cargos administrativos do governo paulista e depois se tornaria um dos fundadores do IPHAN, então conhecido como SPHAN (Serviço), juntamente com Rodrigo Melo Franco de Andrade.

A fundação do SPHAN, a partir de 1936 mas oficialment…

PÓS-GRADUAÇÃO PAGA AGRAVARÁ GRANDES BARREIRAS PARA O CONHECIMENTO

Por Alexandre Figueiredo

Foi aprovada anteontem, na plenária da Câmara dos Deputados, a proposta que permite a cobrança de mensalidades em cursos de pós-graduação nas universidades públicas. A Proposta de Emenda Constitucional, cujo autor do texto original é o deputado Alex Canziani (PTB-PR) e com texto substitutivo do colega Cleber Verde (PRB-MA), ainda depende da votação no Senado para aprovação definitiva.

O projeto propõe que cursos universitários de pós-graduação lato sensu (especialização), assim como os de Mestrado profissional e extensão, cobrem taxas de mensalidades de seus alunos. Segundo seus defensores, a medida visa melhorar a arrecadação de recursos das instituições de ensino superior.

A proposta de pós-graduação paga, que contou com a oposição de partidos como PSOL, PC do B e o recém-criado REDE (Rede Sustentabilidade, de Marina Silva), embora o Partido dos Trabalhadores tenha deixado a questão facultativa (os petistas poderiam votar contra ou a favor, se quiserem), no…